PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Câmeras de segurança registram homem agredindo gato após briga com namorada

Bruna Ostermann

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre

23/09/2019 16h18

Um servidor público de Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul, foi flagrado agredindo um gato, no prédio em que vive. O caso aconteceu no último sábado à noite.

A câmera, instalada no corredor do edifício, registrou o animal correndo e subindo as escadas. O agressor foi atrás e desceu chutando-o, até o térreo. O gato já não reagia mais, mas o homem continuou com os golpes. Depois, o homem jogou o bichinho para fora do edifício.

Um vizinho que testemunhou parte da agressão entrou em contato com a vereadora Bruna Molz (PTB), conhecida por defender a causa animal.

"As pessoas costumam avisar quando tem algum caso de maus tratos, animais abandonados. Então, houve esse caso de maus tratos com o gatinho e o morador do prédio que viu ele machucado, não sabia a quem recorrer e ligou para mim, pedindo auxílio para levar ao gato ao veterinário", contou a vereadora.

O animal foi levado para a clínica ainda no sábado. De acordo com o veterinário, o gato perdeu um dente, ficou com hematomas no corpo e a situação é estável.

No domingo, a vereadora divulgou a história nas redes sociais e foi assim que a dona soube que o bichinho de estimação havia sido agredido. A mulher contou que havia tido uma discussão com o companheiro e decidiu ir dormir na casa dos pais.

Segundo a vereadora, a proprietária do animal não quis entrar em detalhes sobre a conduta do companheiro, mas os vizinhos contaram a ela que o homem era agressivo. De acordo com a polícia, ela havia registrado queixas sobre o comportamento violento do namorado anteriormente.

"A gente fica preocupado né? Eu pedi que pelo menos ela fizesse medida protetiva para ter certeza que essa pessoa não vai mais se aproximar do gatinho. Na condição de protetora de animais, eu não posso devolver um gato para o convívio familiar dessa pessoa que o agrediu. E até para a segurança dela", disse a vereadora.

Para o UOL, a proprietária do animal, que prefere não se identificar, disse que viveu um relacionamento de 18 anos com o homem e que ele nunca havia sido agressivo. Informou ainda que, desde que soube do fato, estão separados. O gato já está com ela.

O caso está sendo investigado pela polícia. O homem deverá responder um termo circunstanciado ocorrência de maus tratos aos animais.

"A pessoa responde pela lei dos crimes ambientais. Nós temos previsão de pena de três meses a um ano para quem comete esse tipo de agressão contra animais. Nesse caso, ele não deve ser preso. É apenas um termo circunstanciado em que ele se compromete a comparecer no Poder Judiciário quando chamado", explicou a delegada Raquel Schneider.

Santa Cruz do Sul tem uma lei municipal que penaliza maus tratos a animais, criada pela vereadora que ajudou o gato. O agressor deverá pagar uma multa de R$ 2,86 mil à administração pública. O caso está sendo acompanhado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente. O homem trabalha como monitor social em abrigos da cidade.

Cotidiano