Topo

Juíza concede prisão domiciliar a suspeito por assassinato em Manaus

Alejandro Valeiko, enteado do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, é suspeito de participação em assassinato - Reprodução/Redes sociais
Alejandro Valeiko, enteado do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, é suspeito de participação em assassinato Imagem: Reprodução/Redes sociais

Bruna Chagas

Colaboração para o UOL, em Manaus (AM)

06/10/2019 01h17

A desembargadora Joana Meirelles, da 2ª Instância do Plantão Criminal, concedeu na noite deste sábado (5) habeas corpus a Alejandro Valeiko, suspeito de envolvimento na morte do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos, ocorrida no final do mês passado em Manaus. Ao aceitar o habeas corpus, Joana determinou que Valeiko, que é enteado do prefeito da cidade Arthur Virgílio (PSDB), cumpra prisão domiciliar. O corpo do engenheiro foi encontrado no dia 30 de setembro, um dia depois de ele ter participado de uma festa na casa de Valeiko.

Com a decisão da desembargadora, Valeiko deixa de ser considerado foragido, antes mesmo de ter seu mandado de prisão temporária cumprido. Pelo documento, ele tem 24 horas para se apresentar, caso contrário terá o benefício revogado e voltará a ser foragido da Justiça.

Após os advogados de defesa de Valeiko, Marco Aurélio Choy e Yuri Barroso, entregarem o pedido de habeas corpus e ele ser concedido pela desembargadora de plantão, o enteado do prefeito de Manaus teve o mandado de prisão temporária recolhido. No lugar, a desembargadora expediu mandado de prisão domiciliar.

A defesa alegou que Valeiko tem problemas psicológicos, e sofre com surtos psicóticos, paranoia e impulsividade. Segundo os defensores, o enteado do prefeito também é dependente químico. Ainda de acordo com a defesa, o filho da primeira-dama de Manaus, Elizabeth Valeiko, está internado em uma clínica psiquiátrica no Rio de Janeiro.

Na tarde deste sábado (5), Valeiko foi oficialmente declarado procurado pela Polícia Civil do Amazonas, que emitiu nota pedindo ajuda da população para encontrá-lo. Os advogados de acusação ainda podem pedir a revogação do habeas corpus.

O corpo do engenheiro foi achado na tarde da última segunda-feira (30/9) em um terreno no bairro Tarumã, zona oeste de Manaus, horas depois de ele ter estado na casa de Valeiko, em um condomínio no bairro Ponta Negra.

Já estão presos por suspeita de envolvimento no crime: José Edvandro Martins de Souza Junior, 31, Elielton Magno de Menezes Gomes Junior, 22, e o chefe de cozinha Vitorio Del Gatto, que morava na residência de Valeiko. Os três estavam na casa junto com o enteado do prefeito e Flávio na noite do último domingo (29/9), segundo a polícia.

O policial militar Elizeu da Paz de Souza, 37, que está lotado na Casa Militar da Prefeitura de Manaus e, conforme as investigações, é segurança de Valeiko, foi preso. Outro preso foi Mayc Vinicius Teixeira Parede, 37. Segundo a polícia, Elizeu e Mayc estiveram juntos no condomínio na noite em que Flávio foi morto.

Cotidiano