Topo

Após denúncia anônima, confronto deixa 6 mortos no interior de SP, diz PM

13.out.2019 - Armas e anotações apreendidos pela PM após ocorrência em São José do Rio Preto (SP) em que seis suspeitos foram mortos - Divulgação/Polícia Militar
13.out.2019 - Armas e anotações apreendidos pela PM após ocorrência em São José do Rio Preto (SP) em que seis suspeitos foram mortos Imagem: Divulgação/Polícia Militar

Simone Machado

Colaboração para o UOL, em São José do Rio Preto (SP)

13/10/2019 13h47Atualizada em 13/10/2019 15h05

Seis homens morreram em um confronto com policiais militares em São José do Rio Preto, no interior paulista, na noite de ontem, segundo a corporação.

De acordo com o boletim de ocorrência, policiais receberam uma denúncia anônima pelo 190 dizendo que um grupo de homens armados estaria em uma casa, no bairro de chácaras Estância Alvorada, planejando um furto a caixas eletrônicos. Carros do Baep (Batalhão de Ações Especiais de Polícia) foram até o local. Dez policiais entraram no quintal do imóvel, que estava com o portão aberto.

"A casa fica em um terreno com outras três residências. Tiramos as famílias que estavam nos imóveis da frente e, quando nos aproximamos do local onde os bandidos estavam, que fica aos fundos, fomos recebidos por tiros por um homem que estava no corredor", disse o capitão José Tomaz Costa Junior.

Segundo a polícia, houve troca de tiros. Seis suspeitos foram baleados e morreram no local.

Um cabo da Polícia Militar, de 36 anos, foi atingido por um tiro na altura do peito e caiu no chão, mas bala foi amortecida pelo colete à prova de balas. Ele chegou a ser levado para o Hospital de Base, onde passou por atendimento e foi liberado em seguida.

Com isso, nos últimos oito dias, chega a dez o número de mortos em ações policiais em São José do Rio Preto. Na semana passada, quatro homens morreram baleados após furtarem uma chácara na cidade.

Apreensão de armas e drogas

Na casa, os policiais apreenderam um fuzil com 40 munições, duas pistolas, três revólveres, toucas ninjas, um colete à prova de balas e uniformes iguais ao de funcionários de um banco, além de porções de maconha e cocaína.

A polícia também disse ter encontrado documentos com anotações que eles dizem ser da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

"Havia um papel onde estava escrito o estatuto do PCC, que são as orientações às quais os membros devem seguir. E também encontramos uma rifa que é usada para arrecadar dinheiro para a facção, uma prática bastante comum deles", afirmou o capitão.

Ainda segundo a polícia, testemunhas disseram que mais pessoas estariam no imóvel, o que leva os policiais a acreditar que alguns bandidos conseguiram fugir.

Os corpos foram encaminhados para o IML (Instituto Médico Legal). Até a última atualização desta reportagem, os mortos não haviam tido a identidade revelada.

Cotidiano