PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Esse conteúdo é antigo

Mulher e adolescente são estupradas após pegarem carona em Belo Horizonte

Conglomerado de Serra, em Belo Horizonte - Divulgação/Câmara Municipal
Conglomerado de Serra, em Belo Horizonte Imagem: Divulgação/Câmara Municipal

Carlos Eduardo Cherem

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

29/12/2019 11h16

Uma mulher de 24 anos e uma garota de 14 foram estupradas, agredidas e tiveram as cabeças raspadas ontem, no aglomerado de Serra, maior favela de Belo Horizonte, com cerca de 50 mil habitantes.

De acordo com a PM (Polícia Militar), após se conhecerem pela internet, as duas combinaram encontro em um bar no aglomerado da Serra, na zona sul de Belo Horizonte.

Em um bar na praça do Cardoso, área central do conglomerado de oito vilas, a mulher conheceu um amigo da garota, identificado como Ramonin, que deu carona às duas na hora que elas decidiram ir embora.

Ameaçadas com cães pitbull

No trajeto, em vez de levá-las até a entrada da favela, onde a mulher havia estacionado seu veículo, Ramonin desvia o trajeto e leva as duas até sua casa, numa vila do conglomerado. Lá, ameaçadas por dois cães da raça pitbull, que impedia a saída delas, foram estupradas.

Segundo a PM, o homem teria forçado o sexo com ambas, sob a ameaça de elas serem comidas pelos cães. Elas foram liberadas somente no início da manhã do sábado (28), quando voltaram à praça do Cardoso e informaram o crime a integrantes de uma gangue local.

Agredidas e com a cabeça raspada

No entanto, ainda de acordo com a PM, a reação de quatro membros da gangue à denúncia das duas, que seriam de uma facção criminosa, foi de mais violência. Elas foram agredidas por eles e tiveram a cabeça raspada.

A partir daí, segundo a PM, a mulher seguiu até uma unidade de pronto atendimento à saúde, na própria favela, e uma equipe da corporação foi acionada, via telefone 190. A mulher foi encaminhada para a um hospital municipal, atendida pela equipe de ginecologia e liberada na manhã de hoje.

Cotidiano