PUBLICIDADE
Topo

Mulher aciona detetive para encontrar companheiro sumido e descobre traição

Mulher ofereceu até recompensa para encontrar o companheiro - Reprodução/Redes Sociais
Mulher ofereceu até recompensa para encontrar o companheiro Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Eduardo Schiavoni

Colaboração para o UOL, em Ribeirão Preto

16/01/2020 18h28Atualizada em 16/01/2020 22h49

Uma mulher descobriu de uma forma inusitada a traição do companheiro. Depois de ele sumir de casa e não dar notícias, ela acionou a polícia, um investigador particular e até ofereceu recompensa para descobrir pistas sobre o paradeiro do então "desaparecido". Ela acabou descobrindo que, em vez de ter sido vítima de um crime, o homem havia ido à praia, na companhia de outras mulheres.

A mulher, uma professora de 35 anos que não quis ter a identidade revelada, contou que nem mesmo a família do companheiro, com quem vivia havia sete anos, sabia do paradeiro. Eles moram na zona Leste de São Paulo e não têm filhos nem eram casados no papel. "A gente honestamente achou que tinham sequestrado, até matado ele. Ofereci recompensa esperando pelo pior, mas não imaginava uma traição", disse ela ao UOL.

O homem saiu de casa em 7 de janeiro. Dois dias depois, a mulher registrou o boletim de ocorrência e chegou a oferecer R$ 2 mil para quem o encontrasse. Ela procurou, também, um detetive particular, Ricardo Marcondes. Foi aí que a situação começou a mudar.

"Ele descobriu que um radar registrou a passagem dele [marido] em São Vicente [litoral sul de São Paulo], no dia 7, em uma praia. No começo, achamos que ele tinha sido assaltado ou algo do tipo, mas o investigador resolveu ir até a cidade e ver se o encontrava", afirmou.

Marcondes afirmou ao UOL que conseguiu chegar até o carro, que estava estacionado em uma rua da cidade litorânea. A Polícia Civil de São Vicente ajudou nas buscas e localizou o veículo, que foi aberto. Dentro dele, as autoridades encontraram documentos de identidade femininos e outros objetos pessoais.

"Nesse momento, comecei a achar que ele não tinha sido levado contra a vontade. Checamos as imagens de segurança e vimos que ele saiu do carro acompanhado de mulheres, mostrando muita intimidade", disse.

Segundo o investigador, uma série de cartazes com a identificação do homem foi feita e espalhada pela cidade. Mas foi o helicóptero Águia, da cidade, quem encontrou o homem, que estava acompanhado de três mulheres em uma área reservada da praia.

"A esposa já estava comigo, e fomos até o local. Encontramos o marido. Ele aparentava estar normal, apesar de muitas bebidas estarem no local. Ele começou a chorar, disse que tinha feito uma besteira e que estava com medo da esposa, pois ela era brava", afirmou Marcondes.

Reação

A professora disse que ficou perplexa com a situação. "Mostrei o boletim de ocorrência, falei que todos na família estavam desesperados, achando que ele tinha sido morto. Nem consegui entender o que aconteceu, mas só sei que era muito mais digno ele ter terminado do que feito todos nós passarmos por isso", disse.

A mulher declarou, ainda, que voltou para São Paulo imediatamente e que já providenciou a troca das fechaduras. "Ele podia ter tido a decência de dizer que estava saindo com as meninas, mas eu sou independente, tenho dois empregos, tenho dinheiro. Acho que ele não quis perder isso."

Segundo ela, o relacionamento terminou ainda na praia. "A família me disse, depois, que ele foi seduzido. Mas estou solteira desde aquele momento. Não tive mais contato com ele, mas ainda estou sendo legal e deixando que ele mande alguém pegar as coisas dele, se ele quiser alguma coisa. De resto, ele pode falar com meus advogados."

A reportagem tentou contato com o empresário, mas ele não foi localizado, em seu telefone celular, para comentar.

Cotidiano