PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Esse conteúdo é antigo

Brasileiros resgatados da China chegam a Goiás, onde ficarão em quarentena

Do UOL, em São Paulo

09/02/2020 03h51Atualizada em 09/02/2020 08h14

Os 34 passageiros que estavam em Wuhan, epicentro do coronavírus na China, já estão em Anápolis (GO), onde ficarão em quarentena. Os dois aviões que fizeram o resgate dos brasileiros pousaram na base aérea da cidade goiana entre 6h06 e 6h12 deste domingo (9).

As aeronaves da FAB (Força Aérea Brasileira) haviam aterrissado antes em Fortaleza (CE), entre 1h48 e 1h52, para reabastecer. Os aviões deixaram a capital cearense por volta das 3h25 com destino a Anápolis.

Ao desembarcar em Goiás, tanto os resgatados quanto os tripulantes do voo ficarão de quarentena. Eles passarão 18 dias em um hotel montado na base militar e serão acompanhados por um corpo médico.

Após o pouso das aeronaves, um representante do ministério da Defesa informou que os passageiros estão "assintomáticos" e "muito bem de saúde".

Durante a viagem, que teve escalas na Polônia e na Espanha, médicos já haviam monitorarado os passageiros e informado que nenhum deles apresentava sintomas da doença até então.

"As condições sanitárias, físicas e mentais são as melhores possíveis. Temos certeza de que na madrugada desta noite receberemos todo o grupo, os 34 brasileiros mais a nossa tripulação, cansados porque a etapa foi muito longa. Mas, com certeza, [estarão] bem de saúde e criando esperança para, ao cabo de 18 dias, termos todos saindo saudáveis", afirmou o tenente-brigadeiro Marcelo Damasceno em entrevista ao Programa Brasil Urgente, da Rede Bandeirantes.

Um representante do Itamaraty que se identificou como conselheiro João Batista gravou um vídeo dentro de uma das aeronaves durante a parada em Las Palmas, Espanha, e comentou que o clima do voo era de tranquilidade e alegria.

"As pessoas estão muito aliviadas, muito calmas, todo mundo está passando bem. Estamos sendo acompanhados pelos médicos no voo".

Mesmo assim, os passageiros viajaram de máscara e havia uma separação entre as pessoas para evitar eventual propagação do vírus.

Saúde