PUBLICIDADE
Topo

MG prevê volta de aglomerações distante ainda: 'de junho para depois'

Romeu Zema pretende manter as medidas de distanciamento social no estado - Alexandre Rezende/Folhapress
Romeu Zema pretende manter as medidas de distanciamento social no estado Imagem: Alexandre Rezende/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

06/04/2020 15h30

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), não quis alimentar esperanças de que o fim das medidas de distanciamento social pelo coronavírus esteja próximo. Em entrevista à Radio Itatiaia, Zema previu a volta de aglomerações no estado mineiro apenas para depois de junho.

"Não vamos voltar a ter tão cedo esses locais que aglomeram muitas pessoas funcionando", garantiu o governador. "Eu suponho que junho para depois, porque o vírus vai continuar se disseminando nas próximas semanas ainda", completou Zema.

O território mineiro está sob quarentena desde o dia 22 de março. A flexibilização da medida chegou a ser considerada, mas Minas Gerais deve manter o estado atual porque é esperado um aumento significativo das contaminações caso isso não seja feito.

"Eu penso que antes de maio nenhuma escola funciona, nenhum cinema, nenhuma casa de shows, jogos de futebol, que é onde temos centenas ou milhares de pessoas. Esse isolamento que está em vigor precisa continuar. Aqueles que não conseguirem, que não dependem de sair de casa, devem ficar", pediu o governador.

Zema comentou como foi o final de semana em território mineiro, onde ainda foi possível ver muitas pessoas na rua, como aconteceu na região da Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte. "Fazer uma caminhada não está proibido, mas desde que a pessoa não vá a um lugar que tem grande aglomeração", explicou, pedindo para que as pessoas caminhem no seu "próprio quarteirão".

"Ficar em casa ainda é o melhor. Ainda temos alguns dias pela frente, estamos acompanhando para que isso seja revertido o quanto antes", concluiu Zema.

Coronavírus