PUBLICIDADE
Topo

Copacabana Palace fecha pela primeira vez em 97 anos devido ao coronavírus

Belmond Copacabana Palace - Rio de Janeiro (RJ) - Divulgação/Belmond Copacabana Palace
Belmond Copacabana Palace - Rio de Janeiro (RJ) Imagem: Divulgação/Belmond Copacabana Palace

Do UOL, em São Paulo

09/04/2020 10h54Atualizada em 09/04/2020 18h15

A partir de amanhã, o Copacabana Palace fechará pela primeira vez em 97 anos devido à pandemia do novo coronavírus. A reabertura do hotel de luxo está prevista para o final de maio.

Na próxima segunda-feira (13), os últimos hóspedes terão que deixar o hotel. Somente dois moradores poderão permanecer no local: Andrea Natal, diretora geral do Grupo Belmond do Brasil, que administra o espaço; e o cantor Jorge Ben Jor que vive no local desde 2018.

Em entrevista ao jornal O Globo, Natal disse que no mês passado começou a estranhar algumas situações.

"Nossa previsão de ocupação para março era de 70%, e fechamos o mês com 36%. Até começamos bem, mas a partir de meados do mês, quando o turismo global começou a ser mais afetado, com muitos cancelamentos de voos, a queda foi abrupta. Isso justamente num ano que começou promissor. Tivemos um carnaval inesquecível, nosso baile foi talvez o melhor dos últimos tempos. Parecia que vivíamos uma era de ouro."

Na última segunda-feira (6), de acordo com a ABIH (Associação Brasileira de Hotéis), pelo menos outros 60 hotéis interromperam as suas atividades na cidade do Rio de Janeiro, incluindo o Fasano, outro hotel de luxo.

Apesar do fechamento e da redução do quadro de profissionais trabalhando no Copacabana Palace, camareiras ainda terão que limpar os 293 quartos do hotel todos os dias, abrir as portas e janelas no período da manhã e fechá-las à noite como fazem diariamente.

Roupa de cama, talheres, computadores, telefones, peças de mármore serão catalogados e guardados durante a paralisação.

Natal também revelou que o período de fechamento pode ser um momento para pensar em coisas novas. "A ideia não é reabrir as portas com o hotel exatamente como era. Podem esperar surpresas", afirmou.

Coronavírus