PUBLICIDADE
Topo

CE: morto em queda de avião, médico pegou coronavírus atuando contra covid

O médico Pedro Meneses, paciente com covid-19, morto em queda de avião - Arquivo pessoal
O médico Pedro Meneses, paciente com covid-19, morto em queda de avião Imagem: Arquivo pessoal

Carlos Madeiro e Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

16/05/2020 13h40Atualizada em 16/05/2020 18h02

O médico Pedro José Ferreira de Meneses, 53, que morreu ontem na queda do avião que o levava para tratamento em Teresina, estava na linha de frente da covid-19 no município de Sobral (CE). Ele era clínico-geral e estava internado em estado grave no município cearense, mas pediu para ser levado para próximo da família no Piauí.

A aeronave caiu ontem à noite instantes após decolar no município de São Benedito, na região da Serra da Ibiapaba, no interior do Ceará.

Além de Meneses estavam no bimotor PT-RMN, de propriedade da empresa Táxi Aéreo Top Line, de Teresina, o piloto Paulo César Magalhães Costa, 62, o médico Carlo Victor Sousa Rodrigues, 29, e a enfermeira Samara Aline Félix, 35.

A equipe tinha ido a Sobral buscar Meneses, médico conhecido e querido em Sobral, que estava internado no Hospital da Unimed. A escolha pela transferência ocorreu porque familiares dele moram em Teresina, sua terra-natal.

Ele atuava no novo Hospital Regional de Sobral, referência para tratamento da covid-19 na cidade, e na Santa Casa. Nos atendimentos que prestava, se infectou e acabou sendo internado dois dias antes com sintomas mais graves da doença.

Meneses estava consciente, com auxílio respiratório, mas não estava intubado. Pessoas mais próximas relatam que ele estava apreensivo e temeroso com a situação. Em Teresina, a previsão é que ele fosse levado direto para um leito de UTI (unidade de terapia intensiva) de um hospital particular).

O médico foi transferido por uma ambulância do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) do hospital até o aeroporto de Sobral. Lá, foi recepcionado por uma equipe que foi de Teresina para o acompanhar na viagem.

A esposa dele iria viajar hoje de carro para a capital piauiense, onde acompanharia o marido no período em que ele ficasse internado.

A vice-prefeita de Sobral, Christiane Coelho, relembrou momentos de trabalho em saúde desenvolvido em conjunto com Meneses. "Foram mais de vinte anos de convivência saudável, atenciosa e solidária. Certamente o Céu está em festa por receber um ser de tanta luz", disse.

Ela publicou uma foto em que aparece junto com o médico e enfatizou que "e assim a gente fazia saúde da família."

Outras vítimas

Outra vítima fatal do acidente, a enfermeira Samara Aline Félix coordenava o Núcleo de Educação e Urgência do Samu Estadual e atuou no órgão desde o início das atividades no Piauí. Ela deixa um filho de 16 anos.

"A enfermeira sempre foi exemplo de dedicação e profissionalismo ao exercer a profissão que amava e participar da capacitação de todo o Samu estadual com um empenho inspirador", destacou a Sesapi (Secretaria de Estado da Saúde do Piauí), agradecendo o trabalho e a "contribuição para a evolução dos serviços de saúde do nosso estado." A enfermeira também trabalhava no Hospital Regional Leônidas Melo e no Hospital Santa Maria, em Teresina.

O médico Carlo Victor Soares Rodrigues tinha apenas 29 anos e era natural de Picos (PI). Ele estudou no Instituto Dom Barreto e cursou medicina na Novafapi, em Teresina. Depois de formado, iniciou residência médica em cirurgia-geral no hospital Santa Maria. Rodrigues foi chamado por Félix para compor a equipe que acompanharia o translado do médico Pedro José Ferreira de Meneses, que necessitava de acompanhamento médico na viagem ao Piauí.

"A secretaria agradece todos os serviços prestados por cada uma das vítimas do trágico acidente e ressalta que o trabalho desempenhado por cada um deles foi de suma importância para que muitas pessoas mantivessem sua saúde e que todos são exemplos para os profissionais da saúde que continuam nos seus trabalhos lutando pela vida e saúde da população", diz a nota da Sesapi.

O CRM-PI (Conselho Regional de Medicina) também lamentou as mortes dos profissionais de saúde na queda do avião no Ceará. "Os nossos sentimentos às famílias e amigos dos profissionais que sempre honraram o ofício de amor à medicina, bem como estendidos às famílias das demais vítimas."

Piloto com mais 40 anos de experência

A quarta vítima da queda do avião era o piloto Paulo César Magalhães Rocha, conhecido com PC, e que tinha mais de 40 anos de aviação. Ele era conhecido por realizar voos com políticos e empresários locais, que divulgaram notas lamentando o acidente e destacando seu profissionalismo.

"PC era um piloto experiente e um profissional exemplar, tive a oportunidade de fazer diversas viagens sob seu comando nas quais pude verificar sua capacidade, assim como a seriedade da empresa para a qual trabalhava, a Top Line", publicou o senador Ciro Nogueira (Progressistas-PI).

O piloto Paulo César Magalhães Rocha, conhecido com PC  - Arquivo pessoal
O piloto Paulo César Magalhães Rocha, conhecido com PC
Imagem: Arquivo pessoal

A direção da Top Line Táxi Aéreo informou que nenhum dos integrantes da empresa tinha condições de falar sobre o acidente, como também sobre a história de vida do piloto Paulo César Magalhães Costa "por serem uma família". "Não temos condições emocionais. Mas, ele era o cara mais honesto, íntegro, competente e amigo que já conhecemos", disse a gerência.

Em nota, a empresa afirmou que ao saber do acidente, imediatamente, encaminhou uma equipe até o local e acionou os órgãos competentes para que as primeiras providências pudessem ser tomadas.

"O compromisso, neste momento de profunda tristeza, é de prestar informações e assistência às famílias das vítimas e garantir que sejam asseguradas todas as medidas e protocolos investigatórios em relação às causas do acidente, bem como transparência nas informações", diz o texto.

Bombeiros retomam buscas por corpos na queda do avião no Ceará - Corpo de Bombeiros de Sobral
Bombeiros retomam buscas por corpos na queda do avião no Ceará
Imagem: Corpo de Bombeiros de Sobral

Resgate

O CBM (Corpo de Bombeiros Militar) do Ceará informou que três guarnições, além de voluntários trabalham no resgate dos corpos das vítimas e retirada dos destroços da aeronave.

"Sobre os corpos, com a força impacto do avião os corpos estão dentro de destroços, que perfuram a terra. Então, o acesso está difícil. Estão desmontando tudo com cuidado e calma para que tudo saia com segurança e com uma boa resposta para famílias das vítimas", informou os Bombeiros.

Cotidiano