PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Esse conteúdo é antigo

RJ: Vídeo mostra traficantes com fuzis que podem chegar a R$ 900 mil

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

24/06/2020 21h53

A Polícia Civil e o Ministério Público do Rio investigam uma festa que ocorreu em comemoração ao aniversário de um dos chefes do tráfico de drogas da comunidade de Manguinhos, na zona norte da cidade. O traficante foi identificado como Fábio Gonçalves da Silva, de 43 anos. O baile funk promovido por criminosos teria ocorrido na última sexta-feira (19). Um vídeo gravado no local mostra homens fortemente armados, com fuzis apontados para o alto. É possível observar ao menos nove armamentos nas imagens.

O promotor do MP do Rio Sauvei Lai, que investiga o caso junto a Polícia Civil, disse que as armas que aparecem nas imagens podem custar até R$ 100 mil cada uma.

"A gente identificou nas imagens armas aparentemente novas que podem ser adquiridas por valores que variam de R$ 70 mil a R$ 100 mil, dependendo do modelo, do calibre, da condição da arma, se são novas ou antigas. Somente naquele enquadramento pode ter R$ 900 mil em armas. São armas de origem americana e russa."

De acordo ainda com o promotor, alguns bandidos que aparecem nas imagens já foram identificados e o vídeo vai colaborar com investigações já em curso contra alguns desses traficantes.

"Já têm várias investigações em andamento e essas imagens vão servir para provar que esses traficantes tiveram e continuam tendo envolvimento com o crime."

O tráfico na comunidade de Manguinhos é dominado pelo CV (Comando Vermelho).

O antropólogo Paulo Storani, mestre de tiro policial e capitão veterano do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais), analisou as imagens e disse que é possível identificar na gravação armamentos com grande poder letal como AR-15 e fuzil AK-47. Uma pistola Glock também foi observada.

"São armas de calibre 556 e 762. É um armamento que pode ser letal até 1.500 metros, dependendo do ângulo do tiro, do fabricante, mas pode percorrer até 4.000 metros. A maioria vem do Paraguai e é bom lembrar que ano passado tivemos recorde de apreensões de fuzil e quando isso ocorre o valor de cada armamento desse aumenta. Na medida em que as apreensões aumentam, as armas vão encarecendo", explicou o especialista em segurança pública, que avalia que as armas são adquiridas por R$ 30 mil.

De acordo com informações da Polícia Civil, diligências estão em andamento para identificar os traficantes que aparecem no vídeo. Caso sejam presos, o grupo vai responder por tráfico de drogas, associação criminosa, porte ilegal de arma e infração de medida sanitária, por promoverem uma festa durante o período de pandemia.

Cotidiano