PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
2 meses

Mãe e marido são presos suspeitos de abusar sexualmente de menina de 9 anos

Polícia Civil apreendeu computador e celulares de casal suspeito de abusar sexualmente de criança de nove anos - Divulgação/Polícia Civil
Polícia Civil apreendeu computador e celulares de casal suspeito de abusar sexualmente de criança de nove anos Imagem: Divulgação/Polícia Civil

Lucas Rezende

Colaboração para o UOL, em Vitória

02/07/2020 19h17

A polícia prendeu hoje um casal de 39 anos suspeito de abusar sexualmente da filha da mulher, de nove anos, ao longo dos últimos quatro anos. A mãe da menina e o padrasto, que não terão os nomes divulgados para preservar a criança, eram investigados desde o último dia 19 de junho.

Segundo a delegada Mellina Clemente, que atua na Delegacia de Atendimento à Mulher de Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte, a investigação começou após a criança denunciar a uma tia paterna em uma mensagem que vinha sofrendo os abusos. A guarda da criança pertencia ao pai, mas ela passava temporadas na casa da mãe.

"Ela pediu para acreditarem nela, para não terem nojo, nem vergonha. Disse que percebeu que estava sendo abusada e tinha medo que a irmã de dois anos (filha da mãe com o padrasto) passasse pela mesma história", explicou a delegada.

Ao UOL, Mellina disse que as sessões de abuso aconteciam sempre que a menina estava na casa da mãe.

"Geralmente, era aos finais de semana, mas durante a pandemia os períodos ficaram maiores, de até 15 dias", narrou.

Um exame de corpo de delito foi feito e constatou que a criança foi vítima de violência sexual. Um laudo psicológico corrobora os episódios.

Segundo a delegada, a mãe negou os abusos e tentou imputar autoria dos fatos à família do pai da criança, mas a versão foi refutada por seu atual companheiro.

"O padrasto confessou, apesar de a mentora ser a mãe. Era a mãe quem conduzia, dizia o que ela deveria fazer. Mas ele também era abusador porque participava", salientou Mellina.

A criança de nove anos segue com a guarda do pai. A menina de dois anos, filha da mãe e do padrasto, agora presos, ficou com a madrinha e o Conselho Tutelar foi acionado. Os acusados - que são surdos - foram encaminhados para o Centro de Remanejamento Prisional (Ceresp) de Contagem.

A delegada diz que eles serão enquadrados em dois artigos: 217 (aquele que mantiver relação sexual com menor de quatorze anos incorrerá na prática do crime de estupro) e 218 (pena para quem praticar, na presença de alguém menor de 14 anos, ou induzi-lo a presenciar conjunção carnal).

As penas, que podem chegar a 15 anos, de acordo com o Código Penal, poderão ser aumentadas, já que eles são familiares da vítima. As investigações ainda estão em andamento, já que na casa da mãe e do padrasto foram encontrados materiais pornográficos e computadores - a análise ainda está acontecendo, mas pornografia adulta já foi detectada.

Cotidiano