PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Menino de sete anos sobrevive após cair do 4º andar de prédio em SP

Hospital Irmã Dulce, na Praia Grande (SP), atendeu menino que caiu do quarto andar - Divulgação/Hospital Irmã Dulce
Hospital Irmã Dulce, na Praia Grande (SP), atendeu menino que caiu do quarto andar Imagem: Divulgação/Hospital Irmã Dulce

Simone Machado

Colaboração para o UOL, em São José do Rio Preto (SP)

08/07/2020 13h11Atualizada em 08/07/2020 22h30

Um menino de sete anos sobreviveu depois de cair do quarto andar de um edifício residencial na Praia Grande, no litoral de São Paulo. Ele estava sozinho no apartamento da família quando o acidente aconteceu.

De acordo com a Polícia Civil, o menino, que não teve o nome divulgado, foi deixado sozinho por cerca de 15 minutos, enquanto o pai saiu para acompanhar a mãe até um ponto de ônibus próximo, por volta das 6h30 de ontem.

O homem explicou às autoridades que a mulher vinha sendo perseguida e, por isso, foi acompanhá-la, deixando o filho sozinho.

"A criança pegou uma cadeira e, ao se debruçar na janela, desequilibrou e caiu", explicou em nota a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP).

"Eu estava dormindo quando ouvi um barulho, era como se algo tivesse caído no chão. Logo em seguida a vizinha começou a gritar e a pedir socorro. Quando olhei pela janela vi o menino caído e chorando, ele tentou se levantar, mas como estava com dor não conseguiu", explica Larissa Sousa, moradora do condomínio.

Ainda segundo os vizinhos, o pai chegou logo em seguida e viu o que havia acontecido. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi chamado e socorreu a criança.

O menino sobreviveu à queda e foi levado para o Hospital Irmã Dulce e posteriormente transferido para a Santa Casa de Santos, onde passou por cirurgia. Ele fraturou a perna, está bem e não corre risco de morte.

O caso foi registrado como abandono de incapaz e encaminhado para a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) — que também é responsável por apurar situações envolvendo menores. O pai não foi preso, já que não ficou comprovada a intenção dele em abandonar o filho. O caso segue sendo investigado pela Polícia Civil.

Cotidiano