PUBLICIDADE
Topo

Guarda Municipal reforça fiscalização nas praias do Rio no fim de semana

"Blitz da Vida", com 81 agentes, vai orientar população e quem estiver sem máscara poderá ser multado - Divulgação / Guarda Municipal
"Blitz da Vida", com 81 agentes, vai orientar população e quem estiver sem máscara poderá ser multado Imagem: Divulgação / Guarda Municipal

Do UOL, em São Paulo

10/07/2020 15h52

A Guarda Municipal do Rio de Janeiro, em ação com a Prefeitura, realizará neste final de semana a operação especial "Blitz da Vida" nas praias da cidade, para conscientizar a população sobre os cuidados necessários durante a pandemia do novo coronavírus.

Verificando o cumprimento do decreto que tornou obrigatório o uso de máscaras de proteção facial em locais públicos, participarão da fiscalização sanitária 81 guardas municipais, com 19 veículos.

As equipes farão abordagens no calçadão e na areia, e o cidadão que for flagrado sem máscara de proteção poderá ser multado. Além disso, a fiscalização também terá como foco a retirada de banhistas, pois ainda só é permitida a permanência de pessoas na faixa de areia para atividades físicas individuais.

A atuação será nas praias do Leme, Copacabana, Ipanema, Leblon e Arpoador.

"A 'Blitz da Vida' vai levar essa conscientização para a população, pois quando eu tomo as precauções devidas contra o coronavírus não estou protegendo somente a mim, mas as pessoas ao meu redor também. A multa tem um viés educativo, pois enfatiza a necessidade de se tomar o cuidado de colocar máscara de proteção quando precisar sair na rua", disse o inspetor-geral José Ricardo Soares, comandante da Guarda Municipal.

Em um mês de atuação na frente voltada ao combate da covid-19, a Guarda Municipal do Rio já registrou 1.289 infrações sanitárias. Do total de infrações registradas entre os dias 5 de junho e 8 de julho, 737 foram pela falta do uso de máscara, sendo 568 constatadas em via pública e 169 dentro de estabelecimentos comerciais.

A multa pela falta do uso de máscara é de R$ 107, aplicada no CPF. Já para os estabelecimentos flagrados com consumidores e funcionários sem a máscara, a infração varia de R$ 590 a R$ 2.696,20, com base na complexidade e risco de cada atividade.

Coronavírus