PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias
Adolescente morre após ser atingida por disparo feito por amiga em Cuiabá

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

13/07/2020 16h13

Uma adolescente de 14 anos morreu após ser atingida por um tiro na cabeça supostamente disparado acidentalmente por uma amiga da mesma idade. O caso aconteceu ontem em um condomínio de luxo no bairro Jardim Itália, em Cuiabá.

Isabele Guimarães Ramos estava na casa de uma amiga que é apontada como autora do disparo. A polícia foi acionada, encontrou o corpo próximo ao banheiro e indicou que o local do crime havia sido adulterado. Uma unidade do Samu foi chamada por volta das 22h30 (de Brasília), mas quando chegou à residência a menina já estava morta.

"A adolescente, também de 14 anos e moradora da casa, disse que efetuou o disparo acidental contra a colega. A arma do crime, cápsula e projétil foram apreendidos e passarão por perícia", informou a polícia. A investigada deverá ser ouvida pela polícia amanhã.

A mãe da adolescente que teria efetuado o disparo estava no imóvel. Outros três adolescentes também estavam no local, mas não foi informado se eles eram amigos, familiares da vítima ou da investigada.

O pai da adolescente apontada como autora do disparo foi preso em flagrante por posse ilegal de arma de fogo. Na residência, foram encontradas sete armas, sendo que duas delas estavam sem registro. O homem, que não teve a identidade divulgada, é praticante de tiro esportivo. Ele pagou fiança e foi liberado para responder pelo crime em liberdade.

"Das sete armas encontradas na residência, duas delas não estavam com o registro no local e, por este fato, o proprietário foi preso em flagrante por posse ilegal de arma de fogo de uso permitido", informou a polícia.

Inicialmente, o caso está sendo abordado como um acidente pela DHPP (Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa). No entanto, a polícia também investiga o crime análogo a homicídio porque a investigada é menor de 18 anos. O delegado Olímpio Fernandes, que comanda o caso, informou que não vai se pronunciar até que sejam colhidas todas as informações e laudos necessários.

O UOL tentou localizar a defesa da adolescente apontada como autora do tiro que matou Isabele e também o pai dela, proprietário da arma, mas não conseguiu o contato. Os nomes dos investigados não foram divulgados em cumprimento a lei de abuso de autoridade, que proíbe o fornecimento de nomes de investigados por agentes públicos.

A reportagem procurou a família de Isabele Guimarães Ramos, mas ninguém retornou aos contatos. O irmão da adolescente comentou, em seu perfil em uma rede social, sobre a morte da irmã, afirmando que "é triste a vida".

"Não deu uma chance para minha irmã viver. Ela era uma irmã muito chata quando queria, mas um amor sempre. Era linda e além de tudo era minha irmã. Agora eu sei o sentido da vida. O sentido da vida é fazer você sofrer. Meu pai já foi, agora minha irmã, mano, meu Deus. Queria só dar um abraço nela e um beijo", escreveu.

Isabele é filha do médico neurocirurgião Jony Soares Ramos, que morreu aos 49 anos, em 2018, depois que uma vaca atravessou a MT-251 e ele não conseguiu desviar do animal. O médico estava em uma motocicleta BMW e morreu no local do acidente. Ele era conhecido no Mato Grosso porque realizou a primeira cirurgia para curar um paciente acometido pelo mal de Parkinson.

O enterro de Isabele deverá ocorrer em um cemitério de Cuiabá, na tarde de hoje, após a liberação do IML (Instituto Médico Legal), mas não haverá velório devido à pandemia do novo coronavírus.

Cotidiano