PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias

MG: usuários ameaçam motoristas de ônibus que cobram uso de máscaras

Motorista de ônibus de Ibirité, na Região Metropolitana de BH, é agredido por pedir para que passageiro usasse máscara - Reprodução/TV Globo Minas
Motorista de ônibus de Ibirité, na Região Metropolitana de BH, é agredido por pedir para que passageiro usasse máscara Imagem: Reprodução/TV Globo Minas

Do UOL, em São Paulo

15/07/2020 18h35

Motoristas de ônibus estão convivendo com ameaças constantes por exigir que usuários na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais, usem máscaras para evitar a contaminação do coronavírus.

Dois condutores, inclusive, já foram agredidos com socos por passageiros irritados por terem que usar a proteção, sendo que um motorista de Ibirité ficou com o rosto completamente machucado após a violência. Em outro caso, uma pedra foi jogada no vidro de um ônibus.

Segundo Paulo César da Silva, presidente do Sindicato dos Rodoviários de BH e Região, as violências aconteceram em maio, mas as ameaças recebidas pelos motoristas são diárias.

"É ameaça do tipo: 'Chegando lá no final você vai ver', 'Amanhã você está aqui de novo', 'Olha, olha, motorista, sabe com quem você está mexendo?' Sem contar alguns palavrões também que são proferidos por quem não quer usar o equipamento", contou em entrevista para a TV Globo Minas.

Em Belo Horizonte, o uso da máscara é obrigatório desde o dia 22 de abril. E desde ontem está valendo multa para quem não cumprir a lei na região.

O presidente do sindicato ainda fez um apelo para que a população ajude os motoristas — fazendo denuncias à Guarda Municipal ou à Polícia Militar — em casos de agressão e de descumprimento de regras sanitárias orientadas pelo governo.

"Você não sabe quem é que está contagiado. Estamos todo mundo correndo risco. No momento que nós estamos vivendo, é [preciso] lutar para a gente sair dessa pandemia o mais rápido possível ou controlar essa disseminação que está assustadora não só no nosso município como o estado todo", concluiu Paulo.

Cotidiano