PUBLICIDADE
Topo

Covas diz que tem até setembro para decidir sobre Réveillon na Paulista

Réveillon da Avenida Paulista corre risco de não ser realizado neste ano - Estadão Conteúdo
Réveillon da Avenida Paulista corre risco de não ser realizado neste ano Imagem: Estadão Conteúdo

DO UOL, em São Paulo

16/07/2020 12h15

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB-SP), disse hoje que tem até setembro para tomar uma decisão sobre a realização da tradicional festa de Réveillon na Avenida Paulista em meio à pandemia do novo coronavírus.

De acordo com Covas, não há necessidade de antecipar uma definição, uma vez que são necessários três meses para a organização da festa de Ano-Novo. A mesma cautela vale para outros eventos, como o Carnaval.

"Temos a Parada (LGBTQ+) e a Marcha para Jesus que devem acontecer em novembro, o Réveillon na Paulista, no dia 31 de dezembro, e o Carnaval, em fevereiro do ano que vem. Estamos decidindo com a tranquilidade necessária, não há necessidade de definir nesta semana. Temos os prazos que a prefeitura vai observar. Réveillon na Paulista precisa de três meses de organização, então nosso prazo é fim de setembro", disse.

De acordo com Covas, os eventos com aglomerações de milhares ou milhões de pessoas só serão permitidos na cidade quando houver segurança.

Ontem, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), defendeu que as celebrações de Ano-Novo e Carnaval só aconteçam com a aplicação de uma vacina na população.

Coronavírus