PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês
Médica sequestrada no RS é resgatada em cativeiro em outro estado

Hygino Vasconcellos

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre

22/10/2020 08h54

A médica Tamires Gemelli Silva Mignoni foi resgatada ontem à noite em um cativeiro na cidade de Cantagalo, no Paraná. Ela foi sequestrada na sexta-feira (16), quando saía de um posto de saúde em Erechim (RS), a 370 quilômetros de Porto Alegre. Três suspeitos foram presos na operação.

A médica é filha do prefeito de Laranjeiras do Sul (PR), Berto Silva (Podemos). Os sequestradores fizeram contato com a família três vezes e houve pedido de resgate no valor de R$ 2 milhões, informou a Polícia Civil do Rio Grande do Sul.

médica - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
Imagem: Reprodução/Facebook

Segundo a chefe da Polícia Civil gaúcha, Nadine Anflor, os três presos são um vigilante de banco de Laranjeiras do Sul, uma mulher que cuidava de cativeiro e um taxista. Um quarto suspeito está foragido.

Segundo a polícia, a mulher receberia R$ 5 mil para cuidar do cativeiro. Já o vigilante faltou ao trabalho e apresentou um atestado na quarta-feira citando problemas na coluna.

Cativeiro estourado

Segundo o diretor do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais), Sander Cajal, não houve pagamento de resgate. "O cativeiro foi estourado, não teve negociação", afirmou Cajal, que acrescentou que o sequestro "foi bem organizado, não tem como dizer que foi algo amador."

A médica chegou a fazer contato com a família no cativeiro como prova de vida. "Ela disse que foi muito bem tratada, teve água e comida, e jamais foi molestada fisicamente ou emocionalmente", disse Cajal.

A polícia acredita que, após o sequestro, a médica foi levada para Itá, na divisa com o Rio Grande do Sul. Em seguida, foi para Chapecó (SC) e, por último, para a cidade de Cantagalo - a 29 quilômetros de Laranjeiras do Sul.

Cajal afirmou que "é pequena" a chance de viés político no crime. Entretanto, no passado o vigilante teve vinculação partidária - não foi informado a qual partido o suspeito era filiado.

Comoção nas redes sociais

Na noite de ontem, Berto Silva, candidato a reeleição em seu município, fez postagem nas redes sociais comemorando o resgate, com uma foto de Tamires.

"Valeram as orações. A Tamires acaba de ser libertada pelos grupos DEIC (Departamento Estadual de Investigações Criminais) e TIGRE (Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial). Nossa menina está voltando pra casa", salientou o prefeito.

Berto havia feito correntes de oração e chegou a fazer um post homenageando a filha no dia do médico, no sábado.

Cotidiano