PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Criança morre engasgada, mas polícia suspeita de violência sexual na PB

Suspeita surgiu quando conselheira tutelar da região foi alertada pela equipe do hospital de que havia sinais de violência no corpo da criança, incluindo lacerações na região do ânus, o que levantou suspeita de possível crime de violência sexual - Reprodução
Suspeita surgiu quando conselheira tutelar da região foi alertada pela equipe do hospital de que havia sinais de violência no corpo da criança, incluindo lacerações na região do ânus, o que levantou suspeita de possível crime de violência sexual Imagem: Reprodução

Colaboração para o UOL, em João Pessoa

28/10/2020 15h28

Uma criança de dois anos morreu ontem em João Pessoa (PB) após ser socorrida em um hospital municipal da cidade em decorrência de uma parada cardiorrespiratória. Os familiares que socorreram a criança disseram que ela se engasgou com mingau, e como eles não conseguiram reanimá-lo em casa, decidiram levar a criança ao hospital.

Contudo, o caso passou a ser investigado pela Polícia Civil após a equipe médica fazer o alerta de que o menino poderia ter sido vítima de violência sexual. Em razão disso, o corpo da criança foi encaminhado para o IPC (Instituto de Polícia Científica), onde passa por perícia para identificar a real causa da morte.

As informações foram confirmadas pelo delegado seccional Pedro Ivo Soares Bezerra, da Primeira Delegacia da Polícia Civil da Paraíba. Segundo ele, a suspeita surgiu quando uma conselheira tutelar da região foi alertada pela equipe do hospital de que havia sinais de violência no corpo da criança, incluindo lacerações na região do ânus, o que levantou a suspeita de possível crime de violência sexual.

Pedro Ivo destacou que o caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios de João Pessoa e que a polícia vai intimar os familiares da criança, após o laudo ser emitido com a causa da morte.

"Segundo o que nos foi passado por uma conselheira tutelar, a criança apresentava sinais de violência pelo corpo e alterações na genitália. A polícia, então, pediu o exame cadavérico que vai apontar a causa da morte", frisou.

Bezerra disse ainda que o exame vai apontar também se a criança morreu por engasgo, como disseram os familiares, caso seja descartado o crime de violência sexual. "Vamos primeiro aguardar o laudo e em seguida buscar o total esclarecimento da situação", declarou.

Responsável pela região de João Pessoa, o delegado explicou que tem feito reuniões de aproximação entre a rede de proteção de crianças e adolescentes com o objetivo que todos os casos suspeitos de violência e abuso sexual, por menores que sejam os indícios, sejam imediatamente comunicados à polícia.

Cotidiano