PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
4 meses

Moradores do Borel acusam PM de agressão no Rio: 'Ninguém quer apanhar'

Moradores do morro do Borel denunciaram uma ação policial que terminou em um homem preso - Reprodução/Twitter
Moradores do morro do Borel denunciaram uma ação policial que terminou em um homem preso Imagem: Reprodução/Twitter

Marcela Ribeiro

Colaboração para o UOL, no Rio

08/12/2020 21h23

Moradores do morro do Borel, no bairro da Tijuca, na zona norte do Rio, acusam policiais militares de agredirem um homem identificado como Pablo Luiz Alves dos Santos Cabral, de 28 anos. Segundo familiares, o morador foi preso por desacato após questionar a ação dos policiais e afirmar que não era bandido. Vizinhos disseram à família que Pablo foi agredido com uma coronhada na cabeça.

A esposa dele, Débora Cristina, disse ao UOL que viu parte das agressões cometidas contra o marido e que na discussão também acabou agredida pelos policiais do GIT (Grupamento de Intervenção Tática da PM).

"Enforcaram ele na minha frente, apertaram a algema bem forte para machucar. Na discussão, eu também acabei agredida. Tacaram spray de pimenta em mim, me arrastaram e deram tiro para o alto do meu lado. Se queriam prendê-lo por desacato, o procedimento não é esse, não é agredir", disse Débora, que tem 23 anos, mora no Borel desde que nasceu e trabalha em um laboratório de análise clínica.

Parte da confusão no morro do Borel foi gravada por moradores. Nas imagens é possível ver Pablo sendo puxado por um dos policiais. Em um dos vídeos, um morador diz: "Essa é nossa rotina!". Já uma mulher grita: "É covardia!"

Às 20h30, Débora estava na delegacia registrando um boletim de ocorrência contra os policiais.

"Uma abordagem truculenta e agressiva, nenhuma pessoa aceita ser agredida à toa. A abordagem não pode ser essa. Ninguém quer apanhar. Se teve realmente desacato, levasse preso apenas", disse Débora.

Pablo está desde abril desempregado em decorrência da pandemia de covid-19. Ele trabalhava em uma casa de venda de frutas secas, castanhas, grãos e temperos no bairro da Tijuca. Pablo faz atualmente um tratamento contra tuberculose e tem duas filhas.

Procurada, a PM informou que, na tarde de ontem, homens do GIT estavam em patrulhamento na comunidade quando abordaram um homem em atitude suspeita, que resistiu à revista reagindo com palavras de baixo calão e por isso recebeu voz de prisão por desobediência.

"O rapaz entrou em luta corporal com os agentes de segurança, provocando reação de populares que atacaram os policiais com pedradas e garrafadas. Um policial foi ferido, mas a situação estabilizada. O policial e o rapaz foram levados para o Hospital do Andaraí", informou a PM através de nota.

Após o atendimento, o rapaz foi conduzido até a delegacia para registro de ocorrência.

Cotidiano