PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
3 meses

PI: Após 65 horas, empresa diz que energia voltou; morador segue sem luz

Moradores protestaram após bairros de Teresina ficarem sem energia  - Adriano Sousa/Arquivo pessoal
Moradores protestaram após bairros de Teresina ficarem sem energia Imagem: Adriano Sousa/Arquivo pessoal

Yala Sena

Colaboração para o UOL, em Teresina

03/01/2021 16h41

A Equatorial Energia informou, por volta das 13h50 de hoje, que o fornecimento de energia em Teresina (PI) foi restabelecido, após moradores de bairros da capital passarem cerca de 65 horas no escuro. A empresa admite, porém, que há problemas pontuais e disponibilizou telefones para comunicação com os consumidores.

Após temporal na véspera do Réveillon, cerca de dez bairros ficaram sem energia. A chuva provocou a queda de pelo menos 280 árvores, além de placas de outdoors.

"A Equatorial Piauí esclarece que, conforme compromisso firmado, concluiu o restabelecimento do fornecimento a 100% das ocorrências coletivas registradas em Teresina nos dias 31 de dezembro e 01 de janeiro, após as fortes chuvas, ventos e raios que atingiram a capital. Tais ocorrências são aquelas cujo mesmo ponto de defeito na rede afeta o fornecimento a mais de um cliente", informou.

Morador segue sem luz

Estudante de Medicina, Adriano dos Anjos Sousa relatou à reportagem do UOL que a energia não retornou em sua residência e ele está há mais de 65 horas sem luz. "É um absurdo, situação insuportável. A energia foi restabelecida em parte da rua, após manifestação da população que seguraram a viatura da Equatorial, mas continuo sem luz", disse o estudante que mora na rua Ney Bauman, no bairro Buenos Aires.

Em sua rede social, a vereadora Thanandra Sarapatinhas (Patriota) anunciou que irá protocolar uma denúncia contra a Equatorial na segunda-feira (4).

"É um absurdo a empresa responsável pelo fornecimento de energia ainda não ter resolvido o problema, e a único pronunciamento dos mesmos é um texto pronto para todos que vão a sua página reclamar. Na segunda-feira vou protocolar denuncia no Procon e solicitar as providências cabíveis. Sou solidária com todos os pais e mães de família que estão vendo seus alimentos estragarem, parentes doentes que dependem de aparelhos para sobreviver e etc", disse a parlamentar.

O motorista de transporte coletivo, Francisco Paz Costa, 42 anos, informou que a energia voltou por volta de 1 hora da madrugada, no conjunto Manoel Evangelista, no bairro Novo Horizonte, zona Sudeste de Teresina.

"Passamos um ano de 2020 bastante difícil, com pandemia, e ainda tivemos que passar uma virada com apagão. Um desespero. Não poderíamos nem colocar o pé fora de casa, por causa dos assaltos", disse o motorista, que ficou mais de 48 horas sem energia.

A empresa afirmou que montou uma força tarefa para a recuperação da rede elétrica da capital.

"A Equatorial Piauí reforça aos clientes que, caso ainda exista algum problema pontual, registrem solicitação nos canais da Distribuidora. Para atendimento aos clientes, estão disponíveis a Central 0800 086 0800, o site e aplicativo da Equatorial Energia. Também é possível informar falta de energia utilizando a Clara, atendente virtual da Distribuidora que atende pelo número (86) 3228-8200, por mensagem no whatsapp", diz a nota.

Temporal em Teresina

A falta de energia ocorreu por volta das 20h do dia 31 de dezembro, após um temporal com fortes ventos e raios. Desde outubro de 2018, a Equatorial Energia assumiu a concessão de energia elétrica no estado, prometendo investimento de R$ 720 milhões.

Equipes do Corpo de Bombeiros, Prefeitura de Teresina e Equatorial tiveram trabalho para as retiradas das árvores em cima da fiação elétrica, das residências e das vias públicas.

A população ateou foco em pneus e interditou a avenida Duque de Caxias, uma das principais vias de acesso ao bairro Buenos Aires, na zona Norte de Teresina. Pela manhã, ainda sem energia, a população manteve a avenida interditada com madeira, cavaletes e cadeira.

O presidente da Fundação Municipal de Saúde de Teresina, médico Gilberto Albuquerque, informou que foi obrigado a transferir dois pacientes com covid-19 do hospital da campanha Padre Pedro Balzi, montado no Centro de Treinamento de Badminton, na UFPI (Universidade Federal do Piauí), no bairro Ininga, zona Leste de Teresina. Mesmo com gerador, os pacientes que precisaram de respiradores, foram transferidos para o anexo do HUT (Hospital de Urgência de Teresina), que atende pacientes com o novo coronavírus. No hospital de Campanha, que ficou cerca de 15 horas sem luz, havia cerca de 16 pacientes.

Cotidiano