PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Esse conteúdo é antigo

Incêndio atinge sede de jornal em SP; investigação vê ato criminoso

Simone Machado

Colaboração para o UOL, em São José do Rio Preto (SP)

17/03/2021 16h18Atualizada em 17/03/2021 22h22

A sede do jornal Folha da Região, onde funciona também o portal IFolha e uma rádio comunitária, em Olímpia (SP), cidade a 440 km de São Paulo, foi alvo de um incêndio durante a madrugada de hoje. A polícia acredita que tenha sido criminoso e motivado pela opinião jornalística do veículo de comunicação.

O jornal funciona em um sobrado. No andar superior fica a residência do jornalista José Antônio Arantes, 62, editor do jornal, que foi acordado durante a madrugada pelo latido dos dois cachorros da família, por volta das 4h30 e percebeu que o local estava tomado por fumaça.

"Vi aquela fumaça e o cheiro de fumaça estava bem forte, insuportável. Quando abri a porta vi que o andar debaixo estava com chamas. Começamos a pegar panos e água para apagar o fogo", diz Arantes.

Além do jornalista, a esposa dele e a neta de 9 anos estavam na residência no momento do incêndio. Os próprios moradores conseguiram apagar o fogo que não atingiu o segundo andar do imóvel. A mulher do jornalista teve queimaduras leves nos braços.

O Corpo de Bombeiros foi chamado na sequência para fazer o rescaldo do local.

Polícia informou que câmeras de segurança registraram motoqueiro colocando fogo no local - Acervo pessoal - Acervo pessoal
Polícia informou que câmeras de segurança registraram motoqueiro colocando fogo no local
Imagem: Acervo pessoal

Ameaças

O jornalista acredita que o incêndio tenha sido uma tentativa de intimidá-lo. Ele afirma que desde sexta-feira (12) vem recebendo ameaças através das redes sociais. O motivo seria o seu posicionamento a favor do lockdown na cidade, que resultaria em medidas mais restritivas de distanciamento social e fechamento de atividades comerciais no combate à pandemia do novo coronavírus.

Ainda segundo Arantes, também na sexta-feira, o carro usado pela equipe do jornal foi perseguido, e teve os pneus furados no domingo.

"Imaginei que tinha sido apenas uma brincadeira de mau gosto de alguma pessoa que não tinha o que fazer, mas, a pessoa que foi arrumar pneu acabou descobrindo que os parafusos das quatro rodas do veículo não estavam totalmente apertados", disse.

O delegado Marcelo Pupo de Paula, que investiga o caso, afirma que as investigações apontam que o incêndio foi criminoso. Câmeras de segurança de um estabelecimento comercial localizado próximo à sede do jornal flagraram o momento em que um homem, usando camiseta de manga comprida e calça, chega em uma moto, estaciona e coloca fogo no local.

"Fica claro que a pessoa joga um líquido por baixo da porta do local, coloca fogo e foge na sequência. Não temos dúvida que foi criminoso, mas ainda estamos trabalhando para tentar identificar esse motoqueiro", diz o delegado.

As imagens da câmera de segurança foram apreendidas pela polícia e posteriormente disponibilizadas para a imprensa. A Polícia Civil acredita que a motivação tenha relação com o posicionamento do jornal.

"Por ser jornalista e ter uma linha de pensamento, sabemos que o profissional acaba desagradando muita gente a assim criando inimigos", acrescenta Marcelo.

O jornal semanal tem mais de 40 anos de existência e é o mais antigo da cidade, além de ser o único que circula em versão impressa.

Até o fechamento dessa reportagem ninguém havia sido preso.

Prefeitura vai acompanhar as investigações

Em nota, a Prefeitura de Olímpia manifestou solidariedade ao veículo de imprensa local e disse que vai acompanhar as investigações junto à Polícia Civil.

"A Prefeitura da Estância Turística de Olímpia, em nome do prefeito Fernando Cunha e de todo secretariado, manifesta sua solidariedade ao jornalista José Antônio Arantes e família diante do lamentável e suspeito incêndio ocorrido na madrugada desta quarta-feira (17), que atingiu a casa da família e a sede do Jornal Folha da Região, o mais antigo e tradicional da cidade, com mais de 40 anos de história", diz o comunicado.

"Em um momento de tamanha comoção pública, que o país todo enfrenta o seu maior desafio para salvar vidas, é inaceitável e de profunda indignação e tristeza presenciar atitudes como essas", afirma ainda o texto, indo além.

"Dessa forma, o município acrescenta, que diante da suspeita do incêndio ter sido criminoso, devido às características da ocorrência, a Prefeitura acompanhará a investigação da Polícia e irá colaborar no que for necessário para a elucidação dos fatos."

Cotidiano