PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Mulher morre de covid-19 sem saber que doença havia matado filha de 26 anos

Elaine e Amanda Araújo, em foto compartilhada nas redes sociais; mãe e filha morreram de covid-19 - Reprodução/Facebook
Elaine e Amanda Araújo, em foto compartilhada nas redes sociais; mãe e filha morreram de covid-19 Imagem: Reprodução/Facebook

Naian Lopes

Colaboração para o UOL, em Pereira Barreto (SP)

15/05/2021 17h45Atualizada em 17/05/2021 08h28

Uma mulher de 51 anos morreu de covid-19 no dia 10 de maio, em Bauru, poucos dias depois da sua filha, Amanda Araújo, de 26 anos, que faleceu no primeiro dia do mês. Durante o período em que estava internada, Elaine Araújo ficou sedada e não soube que a jovem havia morrido por complicações do coronavírus.

Em abril, Amanda viajou para São Paulo para visitar o avô do namorado, Raul de Luca. O idoso estava com câncer e veio a morrer no dia 7 de abril. A garota chegou a postar uma imagem de luto em homenagem ao familiar do companheiro.

Pouco tempo depois, o casal e Elaine começaram a sentir os sintomas da covid-19 e decidiram realizar o teste, que deu positivo. Eles ficaram em isolamento, mas o quadro de saúde foi se agravando e os três precisaram ser internados para realizar o tratamento no hospital.

Raul conseguiu se recuperar e deu suporte à namorada e à sogra no período em que ambas lutavam pela vida. Porém, mesmo com o esforço de Amanda, ela não conseguiu resistir. Sedada, Elaine não foi informada do falecimento da filha e, 10 dias depois, também veio a óbito.

Amanda era formada em Relações Públicas, trabalhava como bolsista em uma faculdade e estava fazendo mestrado. Já sua mãe era aposentada. Nas redes sociais, as duas demonstravam enorme ligação e viviam publicando trocas de mensagens uma para a outra.

Em novembro, Elaine tinha passado por um problema de saúde, tendo que ficar cerca de um mês internada por causa de uma anemia. Ela precisou receber várias transfusões de sangue e ficou em estado grave, mas se recuperou.

Amanda e Elaine Araújo - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
Imagem: Reprodução/Facebook

"Graças a Deus agora com tudo correndo bem, com informações e com ações corretas, exames e medicamentos, eu estou mais tranquila, só o fato de poder vê-la, muda muito", escreveu Amanda na época, atualizando os amigos frequentemente sobre o quadro clínico da sua mãe.

Recuperada, Elaine chegou a comemorar a sua melhora. "Eu melhorei, mas ainda estou na luta para ficar 100%. Vai dar tudo certo", comentou ela em janeiro.

A aposentada usava frequentemente seu perfil na rede social para pedir que as pessoas se cuidassem para não serem contaminadas pela doença. Em março do ano passado, logo no início da pandemia, ela fez uma reflexão sobre a importância de ficar em isolamento. "Acordo, povo! Fica em casa".

A última postagem de Elaine foi a atualização da sua foto de perfil ao lado da filha. Quando uma amiga perguntou de Amanda, no dia 20 de abril, ela respondeu: "Não tive mais informações. O médico só vai falar amanhã, às 14h. Estou em oração. Deus tenha misericórdia".

Mortes causaram comoção

As duas eram muito queridas pelos amigos e receberam diversas homenagens nas redes sociais. A sogra de Amanda, Denise de Luca, desabafou ao se despedir dela. "Sua trajetória foi de muito orgulho e admiração. Agradeço a presença do seu amor na vida de meu filho", escreveu no seu perfil do Facebook.

Mirelle Godoy postou uma foto ao lado de Elaine e colocou a legenda de "coração partido", além de publicar uma longa mensagem de adeus. "Minha amiga, minha boleira, mão maravilhosa para tudo. Vou guardar todos nossos momentos juntas de aniversários, natais e anos novos", declarou.

Coronavírus