PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
2 meses

Casais amigos adotam irmãos e mantêm as 6 crianças reunidas

Casal que adotou três meninos apontou amigos como bons candidatos para adotar três meninas, mantendo irmãos unidos  - Reprodução/TV Globo
Casal que adotou três meninos apontou amigos como bons candidatos para adotar três meninas, mantendo irmãos unidos Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

26/05/2021 18h01Atualizada em 26/05/2021 18h04

Duas famílias de Sorocaba, no interior de São Paulo, criaram uma saída diferente para não separar seis irmãos que viviam em um orfanato de Uruguaiana, no Rio Grande do Sul.

Segundo a reportagem exibida ontem pelo Jornal Hoje, as crianças foram adotadas por dois casais paulistas que se conhecem, depois que um indicou o outro. Primeiro, Cristiane Sueiro e o marido, Gilson, adotaram os meninos: Eduardo, Kelven e Marino. Sabendo que eles tinham três irmãs, os pais decidiram indicar dois conhecidos como bons candidatos à adoção.

Você pode assistir a toda a programação do Canal UOL aqui

Bruna Mantovani e o marido, Vinicius, já tinham passado pelo processo antes, ao adotar uma bebê, Valentina, que nasceu com Síndrome de Down e problemas no coração, sobrevivendo poucos meses.

Familiarizados com a ideia, os dois seguiram em frente e adotaram Laura, Luísa e Maria Alice, que agora convivem com os irmãos no dia a dia.

"Eu achava que era mais difícil, mais improvável, que alguém ia querer alguém assim já na pré-adolescência, já grande. Por que normalmente saíam muitas crianças pequenas, até cinco anos era quem mais saia, então não passava na cabeça que alguém da minha idade, com 12 anos, ia sair de lá, né?", disse Laura, adotada há 3 anos ao lado das irmãs, em entrevista ao programa da TV Globo.

"O filho é seu, e você vê a cada dia que é muito seu, as experiências, a relação que você constrói, até a personalidade parece que fica idêntica a da gente, a Laura outro dia comentou: 'mas mãe, parece que faz muito mais tempo'. E eu falei pra ela: 'faz, porque você nasceu para mim", declarou a mãe da adolescente, também em entrevista ao jornal.

Ao comentar a convivência dos seis irmãos, Bruna comemora a oportunidade.

"A gente pensa nos seis juntos, né, não tem como pensar separado. Eles fazem parte de uma grande família mesmo", concluiu.

Cotidiano