PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Esse conteúdo é antigo

GO: Youtuber negro filma abordagem policial durante passeio de bicicleta

Do UOL, em São Paulo

29/05/2021 12h24Atualizada em 27/12/2021 10h31

Uma abordagem policial ao youtuber e ciclista Filipe Ferreira gerou críticas nas redes sociais neste fim de semana. O caso aconteceu ontem na orla do Lago Jacob, na Cidade Ocidental (GO), a cerca de 50 km de Brasília. Em vídeo, dois policiais militares abordam o atleta de forma truculenta enquanto ele treinava manobras no local.

Filipe gravava a prática quando um policial militar aparece inesperadamente e manda que ele saia de cima da bicicleta. O policial desce do carro e aponta a arma para o youtuber, ordenando que ele coloque a mão na cabeça.

O atleta questiona o motivo da abordagem e o policial afirma, aos gritos, que se ele não obedecesse às suas ordens seria preso.

Filipe chega a tirar a camiseta para mostrar que não está carregando nenhum objeto, mas ainda assim acaba sendo algemado. "Algemar?", questiona Filipe. "Algemar. Resiste aí pra você ver o que vai acontecer contigo", diz o policial.

Os dois discutem mais durante a abordagem e, após colocar as algemas no atleta, o policial apreende a câmera de Filipe e encerra a gravação.

Nas redes sociais, ele escreveu que "estava apenas pedalando" e gravando as manobras para o seu canal no YouTube.

"Não entendi o porquê apontava a arma pra mim como se fosse disparar a qualquer momento. Realmente não entendi nada", escreveu.

Fiquei me perguntado se eles me abordaram por conta da cor da minha pele ou se eu realmente tinha feito algo que precisou até de algema.
Filipe Ferreira

Diversas pessoas se manifestaram a respeito das cenas nas redes sociais, apontando que o caso é uma situação de racismo.

O deputado federal Marcelo Freixo (Psol - RJ) classificou a abordagem como "repugnante".

Procurada pelo UOL, a Polícia Militar de Goiás afirmou que "o fato está sendo apurado" e que "caso seja comprovado qualquer tipo de excesso, as providências legais serão tomadas."

O UOL também entrou em contato com Filipe Ferreira e aguarda retorno.

Cotidiano