PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Irmãos gêmeos suspeitos de estupro coletivo são presos em Minas Gerais

Operação da Polícia Civil prendeu irmãos gêmeos suspeitos de estupro coletivo em BH e um monitor de escola que abusava da filha - Divulgação Policia Civil de Minas Gerais
Operação da Polícia Civil prendeu irmãos gêmeos suspeitos de estupro coletivo em BH e um monitor de escola que abusava da filha Imagem: Divulgação Policia Civil de Minas Gerais

Do UOL, em São Paulo

17/06/2021 14h25

Dois irmãos gêmeos suspeitos de estupro coletivo contra uma menina de 15 anos foram presos pela Polícia Civil de Minas Gerais hoje. A operação de combate à violência contra crianças e adolescentes prendeu ainda outros dois suspeitos de abusos contra a filha e da sobrinha. As prisões aconteceram em Belo Horizonte e em Vespasiano, na Região Metropolitana da capital.

Os irmãos, de 20 anos, eram investigados por um estupro coletivo ocorrido em maio deste ano, no bairro Piratininga, mesmo local onde foram presos hoje.

A vítima, uma jovem de 15 anos, contou que estava "saindo" com um dos irmãos e que consentiu ter relação mais íntimas com ele. No entanto, ele teria chamado o irmão e outros quatro amigos que a forçaram a ter relações sexuais contra a sua vontade.

A investigação apontou que os irmãos ameaçaram a adolescente e a família dela caso alguma denúncia fosse feita. Em depoimento, os investigados negaram os fatos e, como contou o delegado responsável, Diego Lopes, eles tentaram desqualificar a vítima. Os outros envolvidos no crime serão indiciados pela Polícia Civil por estupro.

Outras prisões

Outras duas pessoas foram detidas na operação de hoje. Um deles é suspeito de abusar sexualmente da própria filha, de 11 anos. O homem, que trabalha como monitor em uma escola de Belo Horizonte, foi preso na região do Barreiro.

"Com a prisão desse suspeito, afastamos a possibilidade de novos abusos contra a filha e ainda garantimos o afastamento dele de outras crianças que poderiam se tornar vítimas desse abusador", disse a delegada do caso, Thais Degani.

Já em Vespasiano, um homem de 50 anos foi preso por abusar da sobrinha, dos 7 aos 9 anos de idade, em 2017. A mãe da menina buscou atendimento psicológico após notar comportamentos estranhos por parte da filha, inclusive, com automutilações pelo corpo. Devido a condenação judicial em primeira instância, e por estar em local incerto, foi expedido mandado de prisão preventiva contra o tio da vítima.

A ação de hoje, desencadeada pela Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente, faz parte da primeira fase da operação Acalento, coordenada pela Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública do Governo Federal.

Segundo o chefe da Divisão Especializada de Orientação e Proteção à Criança e ao Adolescente (Dopcad), delegado Felipe Falles, até 16 de julho as operações de combate aos crimes contra crianças e adolescentes serão intensificadas.

Cotidiano