PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Criança que foi atacada por jacaré em Goiás precisou ter braço amputado

Jacaré nadando durante o dia na lagoa de Porangatu (GO) - Reprodução/TV Anhanguera
Jacaré nadando durante o dia na lagoa de Porangatu (GO) Imagem: Reprodução/TV Anhanguera

Colaboração para o UOL, em São Paulo

24/06/2021 16h09Atualizada em 24/06/2021 20h16

A criança de 1 ano e 8 meses que foi atacada por um jacaré ontem de manhã na cidade de Porangatu, a cerca de 400 km de Goiânia (GO), precisou ter o braço amputado em uma cirurgia.

A vítima estava na orla de uma lagoa alimentando tartarugas quando foi puxada pelo jacaré, segundo a TV Anhanguera, afiliada da TV Globo na região. Quem impediu que algo mais grave acontecesse foi a babá, que acompanhava a criança no momento do acidente. A mãe do menino relatou a socorristas que a mulher abriu a boca do réptil para resgatá-lo.

A criança foi atendida por um médico do Samu e depois encaminhada ao Hugol (Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira), na capital do estado, onde passou pelo procedimento de remoção do braço afetado.

Segundo o Dr. Fabrício Cardoso Leão, médico e gerente de atendimento ao paciente do Hugol, a quantidade de sangue que a vítima perdeu poderia ter causado uma parada cardiorrespiratória.

"Poderia parar o coração, ter um mal súbito por causa do sangramento", acrescenta. "Existe a chance da criança ter uma infecção grave por ter acontecido em um ambiente aquático. Ele está internado com cuidados de terapia intensiva para monitoramento e controle. Está em uso de antibiótico e estabilizado", informou o médico.

Apesar da condição estável, o boletim médico informou que o estado de saúde é considerado grave.

Em comunicado à TV Anhanguera, a prefeita de Porangatu, Vanusa Valadares, disse que um projeto de revitalização da lagoa está em curso. "Dentro do processo há um remanejo dos animais para um local adequado, para o habitat natural. Não há uma previsão do remanejo, mas o Ibama já foi comunicado para nos orientar".

Imagens exibidas pelo canal flagraram a presença de pelo menos seis jacarés na lagoa. Não há, porém, cercas, divisórias ou placas para alertar e evitar contato dos animais com a população.

A prefeita afirmou que cresceu na cidade e que desconhece um histórico de ataques de animais selvagens.

O vídeo abaixo mostra o fácil acesso da população à lagoa.

Cotidiano