PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Esse conteúdo é antigo

Após xingar blitz por encerrar festa nos Jardins, socialite diz que errou

Do UOL, em São Paulo

12/07/2021 09h53Atualizada em 12/07/2021 17h13

A socialite Liziane Gutierrez comentou na madrugada de hoje a repercussão de suas falas após a blitz de fiscalização encerrar uma festa ilegal com cerca de 500 pessoas nos Jardins, em São Paulo, na madrugada de ontem. Ela era uma das participantes e disse que está "mal com essa situação, por ter errado".

"Eu sou sincera, sempre fui e sempre vou ser, tô mal por essa situação, por ter errado e por ter vídeos fora do contexto. Hoje às 19:00 vou fazer uma live e a gente conversa, deixem eu me explicar depois vocês me criticam", escreveu ela em seu perfil no Instagram.

A socialite se apresenta como modelo e advogada. Nos registros da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) consta que ela exerceu apenas a função de estagiária no Rio de Janeiro. No site do órgão, a inscrição de Liziane aparece como "situação cancelada".

Em vídeo publicado no Twitter pelo deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP), que acompanhou a blitz, ela aparece sem máscara e proferindo xingamentos contra os agentes e dizendo várias vezes: "Vai pra favela".

Com ingressos de até R$ 1.600, a festa foi interrompida pela força-tarefa que fiscaliza o cumprimento das medidas sanitárias durante a pandemia. O evento, realizado em um escritório de advocacia, reuniu cerca de 500 pessoas —segundo informou o governo de São Paulo — e contou com um show da dupla sertaneja Matheus e Kauan.

Ao chegarem ao local, a blitz, composta por integrantes das forças de segurança do estado, Procon e Vigilância Sanitária, foram hostilizados e seguranças tentaram impedir a entrada deles.

A festa clandestina aconteceu no escritório do advogado Adib Abdouni, no Jardim Paulista. Abdouni aparece sem máscara no evento em vídeos divulgados nas redes sociais. O UOL tenta desde ontem contato com o escritório, mas ainda não teve resposta.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, a responsável pelo local foi levada a uma delegacia após ser autuada por infração de medida sanitária preventiva (a pena vai de um mês a um ano de prisão). "Eu loquei o espaço e fiz o evento, infelizmente às 23h eu não consegui tirar o pessoal", disse à TV Globo Alzira Scarabucci.

Também foram aplicadas multas por aglomeração e falta de uso de máscaras, segundo a emissora.

Cotidiano