PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
6 meses

Quadrilha rouba fábrica de joias de ouro e põe fogo em veículos em Jarinu

Criminosos atearam fogo em veículos para fugir após assaltarem uma fábrica de ouro em Jarinu (SP) - Reprodução/Redes sociais
Criminosos atearam fogo em veículos para fugir após assaltarem uma fábrica de ouro em Jarinu (SP) Imagem: Reprodução/Redes sociais

Do UOL, em São Paulo*

13/07/2021 07h05Atualizada em 13/07/2021 12h04

Moradores da cidade de Jarinu, na região de Jundiaí, no interior de São Paulo, viveram uma madrugada de pânico hoje. Uma quadrilha formada por 15 homens assaltou uma fábrica de joias de ouro no bairro da Água Preta e dois mercados, trocou tiros com a polícia e incendiou pelo menos quatro veículos fechando o acesso de duas vias.

Segundo a Polícia Militar, homens fortemente armados com fuzis e explosivos espalharam-se em vários pontos da cidade. Durante a ação, o grupo explodiu o portão empresa de joias para invadir o local, que fica na Estrada Municipal Santo Gastaldi.

Conforme relatos de moradores, os criminosos chegaram à frente da fábrica em vários veículos e dispararam tiros de fuzil contra a guarita de segurança. Houve troca de tiros entre a polícia e os criminosos em pontos das cidades de Campo Limpo Paulista e Atibaia, próximas de Jarinu. Ninguém ficou ferido.

Os criminosos conseguiram fugir em direção a Minas Gerais e continuam foragidos. Durante a fuga, os criminosos lançaram pregos retorcidos, conhecidos como "miguelitos", para dificultar a perseguição. Ainda não há informações da quantidade total de ouro roubada.

Segundo a Guarda Civil de Jarinu, o grupo teria vigiado a entrada da fábrica usando um drone e, dessa forma, monitorou a chegada da polícia. Na fuga, usaram os veículos incendiados como barricada para dificultar o acesso da polícia.

Nas redes sociais, moradores comentaram o momento de tensão e medo, vias bloqueadas e o barulho de tiros de fuzis. A cidade tem pouco mais de 30 mil habitantes.

No final da manhã, após a realização da perícia, a entrada do bairro Vila Primavera e o Trevo do Maracanã, ao lado de um mercado, já foram liberados, com apoio do Departamento de Trânsito e da Guarda Civil Municipal.

Equipes do Gate (Grupamento de Ações Táticas Especiais), GOE (Grupo de Operações Especiais) e da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Jundiaí estão no local, assim como a perícia.

Em 2012, uma chácara na cidade onde funcionava uma fábrica de joias foi alvo de um assalto semelhante. A polícia não confirmou se trata-se da mesma fábrica.

Naquela ocasião, dez homens invadiram o local e levaram 40 kg de ouro e prata avaliados em cerca de R$ 1 milhão.

*Com informações da Agência Estado

Cotidiano