PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
9 meses

PM é afastado após ser acusado de agressão homofóbica em GO

Jovem publicou imagens do momento da agressão nas redes sociais - Reprodução/Twitter
Jovem publicou imagens do momento da agressão nas redes sociais Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

12/08/2021 18h22

Um jovem afirmou ter sido vítima de homofobia por um policial no Parque Acalanto, em Goiânia, capital de Goiás. Em publicação realizada nas redes sociais, o homem, que se identifica como Lucas Dourado, informou que as agressões aconteceram na segunda (9) e foram desferidas por um policial militar. Segundo a PMGO, o homem foi afastado.

De acordo com o seu relato, Lucas saiu por volta das 19h30 para uma mercearia para comprar um refrigerante. Ao chegar no local, o policial, que não foi identificado, teria se aproximado ofendendo-o. "Este rapaz me intimidou e partiu para cima de mim, perguntando por que eu estava olhando para ele", escreveu o jovem nas redes sociais.

As agressões teriam continuado e Lucas iniciou a gravar a cena. "Ele me agrediu com um tapa e logo em seguida sacou a arma e apontou em minha direção. Eu me afastei e ele continuou com as agressões, me derrubou no chão, desferiu vários chutes e socos e continuou por longos e assustadores minutos com a arma na minha cabeça, ao alcance dos meus olhos, e eu só orava a Deus que me livrasse daquela situação."

Em dado momento, Lucas afirma que conseguiu se desvencilhar do agressor, que subiu na moto e ainda o ameaçou afirmando que e era policial. Segundo o jovem, o homem teria dito: "você não sabe com quem mexeu, você não tem ideia do que eu sou capaz, eu sou dono desta área."

"Foi horrível, momentos angustiantes e de muito medo simplesmente por eu ser gay", desabafou o jovem. As imagens foram publicadas nas redes sociais.

Ao UOL, a Polícia Militar de Goiás informou que o policial em questão estava em dia de folga e que, após o episódio, ele foi afastado das funções operações. Um procedimento administrativo disciplinar foi instaurado para apurar o fato.

"A Polícia Militar de Goiás reitera que não compactua com qualquer desvio de conduta praticado por seus membros e que o caso será apurado com o rigor devido.", diz comunicado.

Cotidiano