PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
10 meses

Estudante morre em briga de trânsito; 'Era só um retrovisor', lamenta tia

Larissa Duarte Lima, de 23 anos, sonhava ser delegada - Reprodução/Facebook
Larissa Duarte Lima, de 23 anos, sonhava ser delegada Imagem: Reprodução/Facebook

Tatiana Campbell

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

25/08/2021 16h12Atualizada em 25/08/2021 16h15

Uma estudante de direito de 23 anos, que sonhava em ser delegada, morreu após uma discussão de trânsito, no Rio de Janeiro. Larissa Duarte Lima, de 23 anos, estava na garupa da moto do namorado, quando um choque com um retrovisor de um carro iniciou uma perseguição. Segundo testemunhas relataram à polícia, o condutor do veículo bateu na traseira da motocicleta e, com o impacto, ambos caíram.

O acidente aconteceu na rua Aricuri, em Campo Grande, na zona oeste da cidade. William Castro, namorado de Larissa Duarte, dirigia a moto quando acidentalmente atingiu o retrovisor do carro do suspeito, Antônio Gabriel Farias.

Testemunhas contaram à polícia que logo em seguida viram o motorista do veículo perseguindo a motocicleta. No momento em que William ia entrar em uma rua, Antônio Gabriel bateu na traseira da moto, segundo os relatos. Com o choque, Larissa Duarte caiu, não aguentou a chegada do socorro e morreu no local.

Larissa era recém-formada em direito e tinha o sonho de se tornar delegada, segundo seus familiares. No momento do acidente, ela estava a caminho do trabalho. Hoje pela manhã, familiares da advogada estiveram no Instituto Médico Legal, no Centro do Rio de Janeiro, para realizar a liberação do corpo.

LARISSA - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
Larissa Duarte Lima, de 23 anos, sonhava ser delegada
Imagem: Reprodução/Facebook

"Ela só vivia para estudar e vem esse covarde fazer isso. Era só um retrovisor. Minha sobrinha, era tão boa. Ele tirou uma vida por causa de um retrovisor. Que país é esse?", disse a tia Mônica Paula de Lima aos prantos.

O namorado de Larissa conversou com o UOL e contou como tudo aconteceu.

"Estava muito trânsito e eu fui pra esquerda, o motorista do carro foi abruptamente, sem ligar a seta, e eu esbarrei no retrovisor dele e segui viagem. Logo em seguida eu vi o carro ao meu lado e ele começou a reclamar eu respondi, mas segui", afirma o comerciante.

William Castro disse ainda que, momentos depois, Larissa alertou que ele precisaria entrar à direita: "Eu liguei a seta para entrar na rua e só senti uma pancada pelas costas e só lembro do momento que eu caí. Levantei rápido, desesperado. Quando olhei pra ela, ela estava no chão. Todo mundo tentando ajudar".

Após o acidente, quem estava no local evitou que o motorista do carro fugisse. A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros foram acionados. Testemunhas contaram para os agentes que o condutor do veículo bateu na moto de forma proposital. William Castro diz que o próprio motorista confessou ter provocado o acidente.

"Segundo o sargento da PM e o bombeiro que estavam lá, quando eles foram falar com o rapaz, ele disse que fez de sacanagem mesmo, que foi de propósito. Como ele faz isso?", questiona o namorado de Larissa

Familiares de Larissa disseram que a mãe e o pai da jovem estão a base de remédios. A jovem tinha um irmão mais novo. Pelas redes sociais amigos da advogada lamentaram a morte de Larissa. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Bangu, divulgou uma nota de pesar.

Ainda não há informações sobre o enterro da jovem. A Delegacia de Homicídios deve ouvir testemunhas, o namorado de Larissa Duarte e o motorista do carro. Segundo a Polícia Civil, a perícia já foi realizada.

Cotidiano