PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
3 meses

Mulher cria praia artificial por ficar sem viajar na pandemia: 'Me salvou'

Maria Helena, de 76 anos, está sem viajar durante a pandemia e resolveu ter uma praia em casa - Reprodução/ Arquivo pessoal
Maria Helena, de 76 anos, está sem viajar durante a pandemia e resolveu ter uma praia em casa Imagem: Reprodução/ Arquivo pessoal

Do UOL, em São Paulo

28/08/2021 04h00Atualizada em 28/08/2021 17h33

Frequentadora assídua das praias brasileiras, a aposentada Maria Helena Nóbrega, de 76 anos, decidiu construir uma praia artificial no quintal da sua casa, que fica em um sítio a 17 km do centro de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, para contornar a impossibilidade de viagens durante a pandemia.

O estado, no qual predomina os biomas do Cerrado e Pantanal, não tem mar, mas, desde que venceu o medo de aviões, Maria Helena explorava o litoral brasileiro - costume interrompido pela covid-19.

"Sou baiana; a vida inteira, quando eu não vivia lá, voltava sempre. Vim para o Mato Grosso do Sul, fiz concurso, fui professora por 35 anos, aposentei, caí no mar e não saí mais de lá. [...] Com a pandemia, fiquei impossibilitada de viajar", relata a aposentada em entrevista ao UOL. Com hipertensão e diabetes, ela precisou se reinventar devido às comorbidades.

"Não pude viajar e fiquei doida e me perguntei o que eu faria. Surgiu essa ideia e apareceu a pessoa indicada. Aceitei na hora".

foto 3 - Reprodução/ Arquivo pessoal - Reprodução/ Arquivo pessoal
A praia particular em pleno Mato Grosso do Sul levou um investimento de cerca de R$ 200 mil
Imagem: Reprodução/ Arquivo pessoal

O projeto da praia teve início em janeiro. A obra aproveitou a área de piscina, que não encantava os olhos da senhora, e passou por uma revitalização. "Sem poder me divertir [no litoral] eu fiquei muito ruim. A prainha me salvou", confessa Maria Helena, que nasceu em Feira de Santana (BA). O investimento para a praia própria está em torno de R$ 200 mil.

foto 1 - Reprodução/ Arquivo pessoal - Reprodução/ Arquivo pessoal
Idosa aproveitou a área da piscina que ela mal frequentava em seu sítio
Imagem: Reprodução/ Arquivo pessoal

'Estou muito feliz'

Agora que o local está com ares de uma praia, Maria Helena afirma que vai conversar com uma paisagista para transformar ainda mais a propriedade. Ela pretende levar plantas exóticas para decorar o entorno, que já tem algumas palmeiras.

Seus familiares e amigos já disputam o sítio e estão o frequentando cada vez mais, principalmente para festas e aniversários em um local aberto. Contudo, Maria Helena é enfática: "Aqui não é local de festa, mas é minha casa que eu cedo. Algumas festas que as pessoas preferem fazer aqui, eu deixo".

A felicidade que ela proporciona aos conhecidos está presente nela mesma. Se as restrições de viagens a deixavam mais triste, hoje seu humor mudou. "Agora estou muito feliz porque eu não ia poder viajar. A pandemia não acabou e eu fico preocupada com os outros. Fico o dia inteiro [na minha praia], não tenho vontade nem de ir à cidade", finaliza.

Cotidiano