PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Conteúdo publicado há
15 dias

Ovo de tubarão é capturado em raro registro em foto, em Fernando de Noronha

A cápsula de ovo do tubarão foi flagrada na região Ressurreta, na Ilha Rata - Renato Magalhães/Ciliares/Divulgação
A cápsula de ovo do tubarão foi flagrada na região Ressurreta, na Ilha Rata Imagem: Renato Magalhães/Ciliares/Divulgação

Do UOL, em São Paulo

27/08/2021 17h23Atualizada em 27/08/2021 19h00

O fotógrafo profissional Renato Magalhães flagrou um ovo de tubarão durante um mergulho na região Ressurreta, na Ilha Rata, em Fernando de Noronha. O registro foi realizado ontem, em uma profundidade de cerca de dez metros, quando o profissional acompanhava um grupo em um passeio.

"Foi uma operação de batismo [dos turistas]. O instrutor olhou para mim e apontou. Ele não entendeu e depois eu falei que era ovo de tubarão, eu já tinha visto um igual há três anos, inclusive no mesmo local. Até brinquei que ali era o ninho deles", contou o fotógrafo ao UOL.

ovo - Renato Magalhães/Ciliares/Divulgação - Renato Magalhães/Ciliares/Divulgação
Renato contou que já viu uma outra cápsula de ovo na mesma região anteriormente
Imagem: Renato Magalhães/Ciliares/Divulgação

A cápsula de ovo estava vazia e, após fazer o registro, Renato ainda tentou encontrar o peixe nas águas. "Aquilo saiu da barriga do tubarão e foi expelido no mar. Eu fiquei procurando pelo filhotinho e falava: 'Tem um bebê na área!'". Apesar da tentativa, o fotógrafo não encontrou o filhote durante o passeio.

Segundo Renato, a cápsula de ovo, por sua vez, pertencia à espécie tubarão-lixa. "O biólogo falou para mim que era tubarão-lixa. Já vi centenas de tubarões por aqui, até um gigante da espécie do tubarão-martelo."

fotógrafo - Renato Magalhães/Ciliares/Divulgação - Renato Magalhães/Ciliares/Divulgação
Renato já ficou de frente com diversos tubarões em Fernando de Noronha
Imagem: Renato Magalhães/Ciliares/Divulgação

Atuando no local desde 2015, Renato diz que mergulha todos os dias e que já conseguiu registrar as diferentes espécies aquáticas. "Já vi polvo comendo cangulo, arraia namorando... Eu acho que é bem interessante porque está tudo calmo e de repente você vê alguma coisa acontecendo. A vida está acontecendo a todo momento. Quanto mais tempo a gente passa no mar, mais a percepção fica aguçada", finaliza.

Meio Ambiente