PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Araçatuba: Vídeo mostra bandido atingido em troca de tiros com a polícia

Simone Machado

Colaboração para o UOL, em São José do Rio Preto (SP)

02/09/2021 21h27Atualizada em 02/09/2021 21h49

Imagens de uma câmera de segurança de um comércio na área central de Araçatuba, a 519 km da capital paulista, mostram o momento em que um integrante da quadrilha que roubou três bancos na cidade é atingido por um tiro. O ataque ocorreu na madrugada de segunda-feira (30) e levou pânico aos moradores. O tiro que atingiu o criminoso teria sido disparado pela Polícia Militar.

No vídeo, de pouco mais de um minuto, é possível ver que o bandido está no meio da rua mantendo duas pessoas reféns. De repente, o homem é atingido por um tiro e cai. Imediatamente, os reféns levantam os braços demonstrando estarem assustados com a situação.

Segundos depois, outro integrante da quadrilha surge e corre em direção ao comparsa ferido. No entanto, um clarão mostra que outro disparo foi feito e o suspeito então deixa o local com medo de ser atingido.

A câmera de segurança mostra que o tiro contra o bandido foi disparado por volta da 1h20, cerca de uma hora depois do início do ataque da quadrilha.

A Polícia Militar acredita que o bandido ferido se trata de Jorge Carlos de Mello, de 38 anos. Ele foi encontrado morto horas depois do ataque, no bairro rural Engenheiro Taveira.

Segundo a polícia o suspeito foi levado até o local de carro. Os próprios reféns teriam sido obrigados a socorrer o homem e colocá-lo em um dos carros usado pelo grupo.

A PM explicou ainda que houve intensa troca de tiros na área central da cidade durante o ataque às agências bancárias. A quadrilha teria feito um cerco ao batalhão, porém policiais do 12° Baep (Batalhão de Ações Especiais) revidaram.

Mello, segundo o Ministério Público, integrava a facção PCC. Ele possui extensa ficha criminal e sete passagens pelo sistema carcerário, respondeu por crimes como tráfico de drogas, roubo, receptação, violência doméstica, jogos de azar, lesão corporal e até estupro.

Ele estava em liberdade desde 27 de março de 2017, quando deixou a penitenciária de Mirandópolis, no interior paulista.

Cotidiano