PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
2 meses

Mulher suspeita de ter matado pai inspirada por filme é presa no ES

Cláudia Campos Veiga alegou a familiares e ex-namorado que sofreu violência sexual durante adolescência - Reprodução/Twitter
Cláudia Campos Veiga alegou a familiares e ex-namorado que sofreu violência sexual durante adolescência Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

09/09/2021 22h14Atualizada em 10/09/2021 15h47

Uma mulher foi presa suspeita de matar o pai em Embu-Guaçu, na Região Metropolitana de São Paulo, se dizendo inspirada pelo filme "Doce Vingança" (2010), em que a protagonista mata um grupo de abusadores que a atacou.

O crime aconteceu em 9 de julho deste ano, mas a investigada, Cláudia Campos Veiga, de 41 anos, foi presa apenas no último dia 4, em Fundão, no Espírito Santo, quase dois meses depois de a Justiça paulista expedir um mandado de prisão temporária contra ela, como confirmado ao UOL pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo.

A prisão foi efetuada pela equipe do K9 do 5° Batalhão da Polícia Militar do Espírito Santo, segundo informações do jornal O Globo.

Dias antes de cometer o crime, Cláudia teria enviado mensagens a um irmão fazendo diversos comentários sobre a história do filme, falando ainda sobre a chegada de um "apocalipse". Um ex-namorado da suspeita, que pagou a passagem para que ela viajasse de sua casa, em Manaus, até São Paulo, também reforçou em depoimento que a mulher tinha vontade de se vingar do pai e havia afirmado que o idoso abusou sexualmente da filha durante sua adolescência, reportou o veículo carioca.

Ao chegar à Embu-Guaçu, onde o pai estava internado em uma clínica de reabilitação, a suspeita teria convidado o idoso, de 65 anos, para uma caminhada nos arredores da propriedade, momento em que teria colocado fogo no pai, que morreu carbonizado.

Pouco depois, estranhando a duração do passeio, um funcionário da casa encontrou o idoso já em chamas. Cláudia não estava mais no local.

A suspeita foi detida e encaminhada à Delegacia Regional de Aracruz e está no Centro Prisional Feminino de Colatina. Segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública de São Paulo, a delegacia capixaba trabalha para conseguir efetuar a transferência da suspeita, já que o caso é investigado em Embu-Guaçu.

Cotidiano