PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Síndico que baleou carteiro é tenente, se apresentou à PF e foi liberado

Do UOL, em São Paulo

01/12/2021 21h50Atualizada em 02/12/2021 15h10

O síndico que baleou um funcionário dos Correios na portaria de um condomínio em São Lourenço da Mata (PE) é um tenente reformado da Polícia Militar de Pernambuco. O suspeito se apresentou à PF, já que o caso envolve um servidor público federal, mas foi liberado poucas horas depois.

O autor dos disparos, que não teve o nome divulgado, alegou ter agido por "impulso" por se sentir "ameaçado e xingado" pelo carteiro. Em imagens gravadas por câmeras de segurança, o suspeito e a vítima aparecem discutindo a uma certa distância um do outro, com o atirador sentado em uma cadeira.

Em certo momento, o síndico levanta e efetua os tiros. O entregador foi socorrido por um homem que o acompanhava na portaria, passou por cirurgia e está na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Detalhes de sua identidade e estado de saúde também não foram divulgados, assim como o nome de seu amigo, mas a PF destaca que os dois serão ouvidos e que a testemunha é um policial civil.

Ao se apresentar às autoridades um dia após o crime, registrado na segunda-feira (29), o 2° tenente reformado afirmou que a arma utilizada no crime foi extraviada ontem e, portanto, não poderia ser entregue para perícia.

Segundo a PF, o suspeito foi liberado, mas será investigado por tentativa de homicídio contra servidor público federal em serviço, com pena prevista de até 20 anos de reclusão. Ainda em nota, a PF afirmou que não descarta pedido de prisão preventiva ou temporária conforme o desenrolar das investigações.

A Polícia Militar foi procurada pela reportagem para comentar o envolvimento do ex-PM no caso, mas ainda não retornou contato. O espaço segue aberto e será atualizado tão logo haja manifestação. Em nota, ontem, a corporação havia declarado que caso se confirmasse que a agressão partiu de um policial militar, a Corregedoria tomaria "todas as medidas cabíveis para este tipo de situação".

Cotidiano