PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Corpo de jovem sumida em Jurerê é achado enterrado em praia; 3 são presos

Abinoan Santiago

Colaboração para o UOL, em Florianópolis

03/12/2021 11h52Atualizada em 04/12/2021 10h55

A Polícia Civil de Santa Catarina encontrou no início da tarde de hoje o corpo de Amanda Albach, 21. Ela estava desaparecida desde 15 de novembro, após sair do beach club P12 na praia de Jurerê Internacional, região nobre de Florianópolis.

O corpo foi encontrado enterrado na praia de Itapirubá, em Imbituba, no litoral sul catarinense, a 90 km da capital. A descoberta ocorreu após três amigos de Amanda serem presos ontem, em Canoas, no Rio Grande do Sul.

Atualização: Suspeito matou promotora de vendas por temer ser denunciado e a obrigou a cavar a própria cova antes de morrer

A Polícia Civil de Santa Catarina encaminhou o trio para Laguna, onde a investigação é conduzida, e um dos presos indicou a localização do corpo, disse o delegado Bruno Fernandes, da Delegacia de Investigação Criminal.

Os suspeitos não tiveram as identidades reveladas pela polícia, que também não informou se as defesas dos suspeitos já foram constituídas.

Suspeitos são amigos da jovem, diz advogado

Amanda era moradora de Fazenda Rio Grande (PR), município próximo a Curitiba, e foi passar o feriado da Proclamação da República com um casal de amigos em Imbituba (SC), no litoral sul catarinense.

De acordo com o advogado da família, Michael Rodrigues Pinheiro, o trio preso é composto pelo casal que acompanhava Amanda na viagem e um conhecido que foi visto com a jovem no beach club P12, no bairro Jurerê Internacional.

O trio mora em Imbituba, mas é natural de Canoas. Eles prestaram depoimento à Polícia Civil e, segundo o advogado que representa a família de Amanda, apresentaram contradições nas versões, o que levantou a suspeita das autoridades.

A família descobriu que ela foi vista pela última vez saindo de uma balada na praia Jurerê Internacional. Os parentes analisaram imagens do estabelecimento e descobriram que ela compareceu ao local em 14 de novembro, durante uma festa que ocorria ao longo do dia.

Segundo a família, Amanda mandou uma mensagem de áudio para uma sobrinha, na noite de 15 de novembro, informando que iria pegar um carro por aplicativo para retornar ao Paraná. Em coletiva de imprensa, a investigação revelou que a jovem foi obrigada a gravar a mensagem para despistar os familiares.

Após a localização do corpo, a reportagem tentou contato novamente com o advogado da família, mas as ligações não foram atendidas.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que a Polícia Civil informou ao longo do dia, o corpo da promotora de vendas Amanda Albach, 21, foi encontrado enterrado na praia de Itapirubá, em Imbituba (SC), e não na praia do Sol, em Laguna (SC), como informava nota oficial da corporação. O local foi corrigido em coletiva de imprensa nesta sexta-feira. Na ocasião, também foi confirmada que a vítima foi visto por último no beach club de Jurerê Internacional no dia 14 de novembro, não no dia 13, como antes informado.

Cotidiano