PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Homem põe placa 'proibido pescar' em buraco na rua aberto há 2 meses em GO

Caio Santana

Do UOL, em São Paulo

07/12/2021 05h30Atualizada em 07/12/2021 08h54

Tiago Augusto, de 32 anos, resolveu fazer um protesto diferente após ver, na frente da sua casa, um buraco aberto após uma obra na via, há cerca de dois meses, no Parque Amazônia, bairro de Goiânia. Cansado, ele deixou uma placa com a mensagem "proibido pescar" em um buraco coberto por água após as chuvas que atingiram Goiás neste fim de semana. O protesto chamou a atenção nas redes sociais.

"Já tinha 60 dias que a situação foi ocasionada. A empresa de saneamento fez o buraco e esqueceu de cobrir. Aí está na porta da minha residência. Eles ficam negligenciando o problema", desabafa o pintor de automóveis, em entrevista ao UOL.

Ele conta que a ideia inicial veio de um amigo e o protesto inusitado com a placa foi feito na manhã de ontem. Segundo o pintor, o buraco em questão teria sido aberto pela Saneago (Saneamento de Goiás) depois que ele solicitou um chamado para reparo de vazamento de água na rua da sua casa.

A empresa dele fica na residência e há ainda o risco dos carros de clientes caírem no buraco. "O buraco ficou na porta de casa, isso que foi me deixando revoltado. Se fosse intermediário entre a casa e fora da passagem de carro, aí não daria nada. Como você vai entrar e sair com o carro?", questiona.

"As tilápias estão só crescendo aqui na lagoa", brincou ele em um vídeo logo após ter fincado a placa no buraco. Agora ele aguarda a solução do problema para conseguir manobrar os carros de forma adequada na frente da sua casa e empresa.

Procurada pelo UOL, a Saneago afirmou que vai realizar a reparação do asfalto nos próximos dias "em caráter de urgência". Quando perguntada sobre o porquê do buraco não ter sido tapado logo após o reparo do vazamento de água, a companhia afirmou que "está empreendendo uma força-tarefa para zerar o passivo de reparos, por meio de várias frentes de serviço atuando diariamente em toda a cidade".

"Em média, a Companhia corta 30 buracos por dia no asfalto de Goiânia, devido a manutenções em redes de água e esgoto. Em contrapartida, são recuperados entre 45 e 50 buracos, todos os dias", justifica.

Cotidiano