PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Dezembro foi o mês mais chuvoso em 31 anos em Salvador

Mulher com guarda-chuva desce escadarias em meio à enxurrada, no bairro Novo Horizonte, em Salvador - Mauro Akiin Nassor/Fotoarena/Folhapress
Mulher com guarda-chuva desce escadarias em meio à enxurrada, no bairro Novo Horizonte, em Salvador Imagem: Mauro Akiin Nassor/Fotoarena/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

26/12/2021 10h07

Um dos municípios castigados por temporais neste fim de ano na Bahia, a capital Salvador não via tanta chuva em dezembro há pelo menos 31 anos, segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). A expectativa é de que as chuvas não deem trégua nos próximos dias.

Segundo dados do instituto, havia chovido até o dia 21 de dezembro 209,9mm em Salvador, o que fazia de dezembro o mais chuvoso desde 1990, quando caiu sobre a cidade 241,1mm. Esse volume de água já é muito maior do que média histórica para o mês de dezembro na cidade, que é de 58,1mm.

Salvador havia registrado a primavera mais chuvosa em 32 anos. Com 694,4mm acumulados no período, este foi o maior valor desde 1989, quando a cidade acumulou 726,8mm na mesma estação, ainda segundo o Inmet.

Até ontem (25), a capital baiana tinha 151 áreas de risco mapeadas, 10 delas com sirenes, segundo a Defesa Civil, que registrou o maior acumulado de chuva nos bairros Pau da Lima (121 milímetros), Mirante de Periperi (119,6 milímetros), Sete de Abril e Bosque Real (119,2 milímetros) e Castelo Branco (115,6 milímetros).

Chuva sem trégua

A previsão é de chuva moderada e trovoadas pelo menos até hoje (26) em Salvador, com risco de deslizamentos e desabamentos. Moradores devem acionar a Defesa Civil ligando gratuitamente para o número 199.

Na segunda-feira (27), a chuva perde força, mas o fim de ano continuará chuvoso e com trovoadas ocasionadas por uma frente fria somada à ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul), responsável pelo prolongamento do período de chuvas volumosas.

Segundo a Defesa Civil, a expectativa é de que em Salvador chova 30% a mais do que a média ao longo do verão 2021/2022, estação iniciada na terça-feira (21) e que só acaba em 20 de março de 2022.

O período será bastante chuvoso também em razão do fenômeno La Niña, que no Nordeste é conhecido por aumentar a frequência das chuvas.

A informação mais recente da Defesa Civil é de 66 cidades em situação de emergência em todo o estado. Os dados sobre desabrigados (4.185) e desalojados (11.260) ainda são de sábado à tarde, quando o número de feridos era de 286 e a população total atingida chegava a 378.286.

Governador sobrevoará áreas atingidas

Na manhã de hoje, o governador Rui Costa (PT) embarcou para Ihéus, no Sul da Bahia, onde sobrevoará as áreas mais atingidas pelas chuvas.

Ele deverá se reunir com representantes dos órgãos que integram a força-tarefa de socorro à população que sofre os efeitos da enxurrada provocada pelas enchentes de rios de várias localidades.

Cotidiano