PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
4 meses

Chuva na Bahia afeta 430 mil pessoas e deixa 58 cidades debaixo d'água

Wanderley Preite Sobrinho e Herculano Barreto Filho

Do UOL, em São Paulo

26/12/2021 13h02Atualizada em 26/12/2021 20h34

As fortes chuvas que castigaram a Bahia nos últimos dias afetaram 430 mil pessoas, deixando 58 cidades debaixo d'água, segundo balanço parcial divulgado no fim da tarde de hoje pela Defesa Civil.

O estado já contabiliza 18 mortes, 286 pessoas feridas e dois desaparecimentos em decorrência das enchentes —há ainda 16 mil pessoas desabrigadas e outras 19.580 desalojadas, de acordo com informações repassadas pelos municípios e consolidadas pela Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia.

Os números foram divulgados durante reunião de monitoramento na base de apoio às vítimas das chuvas montada em Ilhéus, na região sul do estado.

Neste momento, há 72 municípios em situação de emergência reconhecida pelo governo do estado —até ontem, apenas 25 cidades estavam nessas condições. O governador da Bahia, Rui Costa (PT), assinou hoje um novo decreto estadual que incluiu mais 47 cidades na lista —até ontem, 25 cidades faziam parte dessa relação.

O decreto, publicado na versão digital do Diário Oficial do Estado, é válido por 90 dias, e fica autorizada a mobilização de todos os órgãos estaduais para apoiar as ações de resposta ao desastre, reabilitação do cenário e reconstrução das cidades.

Com o aumento no número de cidades atingidas pelas chuvas, o governo ampliou a estrutura de apoio às vítimas. Além de Ilhéus, as cidades de Itapetinga, Vitória da Conquista, Ipiaú e Santa Inês também passaram a contar com locais usados para facilitar o trabalho dos bombeiros.

'É assustador', diz governador

De acordo com o governador, que sobrevoou algumas cidades do estado, as chuvas diminuíram, mas o nível da água continua subindo em cidades localizadas em meio a rios e barragens.

Às 16h de hoje, o governo da Bahia atualizou para 58 o número de cidades atingidas pelas chuvas. Contudo, alertou que esse dado ainda pode ser atualizado ao longo do dia.

Em vídeo postado às 13h22 no seu perfil do Twitter, o governador Rui Costa (PT) informou que havia 37 municípios debaixo d'água.

Acabei de chegar aqui de Itabuna, de Itajuípe. As imagens são muito fortes, com grande quantidade de casas embaixo de água"

"É uma tragédia gigantesca, não lembro se na história recente da Bahia tem algo dessa proporção. É algo realmente assustador pelo número de casas, de ruas e de localidades completamente embaixo de água", complementou, em vídeo postado em sua conta no Twitter.

"Embora a chuva tenha dado uma trégua, a água continua subindo muito naquelas cidades que estão abaixo de barragens, abaixo de rios", afirmou.

Rui Costa durante reunião com autoridades na manhã de hoje - Reprodução - Reprodução
Governador Rui Costa (ao centro) durante reunião com autoridades na manhã de hoje
Imagem: Reprodução

Prioridade é resgatar ilhados, diz governador

Segundo Rui Costa, a prioridade agora é resgatar quem ainda está ilhado.

"Nesse momento [o objetivo é] salvar as pessoas com botes, helicópteros. Tirar as pessoas de cima dos telhados, de cima das casas, de pontos ilhados", afirmou o governador, que está preocupado com os danos causados pelas chuvas às estradas federais, muitas delas interrompidas.

"Porque elas levam assistência a essas comunidades isoladas", afirmou. "Nesse momento a preocupação maior é retirar as pessoas das áreas de risco."

Apoio de outros estados

Costa agradeceu a ajuda enviada por outros estados, como Minas Gerais, Sergipe, Rio Grande do Norte, Paraíba, Maranhão e Ceará.

"Já estamos fazendo resgates das pessoas com apoio de pessoal, material e aeronave dos estados de Minas, Sergipe e está se deslocando de outros estados, como São Paulo. Recebemos mensagem do governador [João] Doria (PSDB)", afirmou.

Ele prometeu montar diversos postos de apoio em razão da extensão territorial do estrago, "muito maior do que há duas semanas".

Força-tarefa com bombeiros de 8 estados

Uma força-tarefa com 161 pessoas composta por bombeiros militares da Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Norte, Maranhão, Paraíba, Sergipe, além das Policias Militar da Bahia e da Rodoviária Federal, está atuando na Operação no Sul da Bahia. Vinte viaturas, 10 aeronaves, oito botes e um barco também foram mobilizados.

Esse "apoio avançado de operação de distribuição de assistência humanitária" contará com helicópteros. Em Itapetinga, as aeronaves serão abastecidos por caminhões deslocados com combustível "para não perder tempo de viagem".

"A outra linha é da assistência: garantir a cesta básica, colchão, agasalho", afirmou.

Cotidiano