PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
4 meses

Ventania arrasta cadeiras, mesas e assusta moradoras em PE: 'Tudo voando'

Caio Santana

Do UOL, em São Paulo

19/01/2022 18h34Atualizada em 19/01/2022 18h34

Uma forte ventania surpreendeu ontem moradores de Lagoa Grande, no Sertão de Pernambuco. Em questão de segundos os ventos levantaram cadeiras e mesas.

A professora Tânia Vieira conversava com a vizinha Neuma Gonçalves enquanto observava crianças jogando futebol quando se depararam com o fenômeno. Elas se refugiaram em uma calçada e não se feriram.

"Foi tudo tão rápido. Quando eu olhei já vinha aquela ventania, aquelas cadeiras em direção. Deu nem tempo de entrar em casa", afirma Tânia em entrevista ao UOL. "Quando eu vi as cadeiras tudo voando, pensei 'daqui a pouco chega uma coisa aqui e eu vou junto também'".

Na gravação de uma câmera de segurança é possível ver Neuma tentando se proteger com os braços, enquanto Tânia segurava a cadeira de balanço para evitar colisão com os objetos que voavam junto com areia.

"Uma cadeira bateu em mim, mas comecei a me proteger com a cadeira de balanço que eu tinha na mão. Não dava nem para ver nada, era [só] terra", declara a professora, acrescentando que a rápida ventania começou com baixa intensidade, dando tempo dos filhos, filhos de uma vizinha e neto de Neuma entrarem dentro das casas com os primeiros pingos de chuva. "Quando eu fui, não deu tempo".

Segundo a moradora, choveu brevemente, próximo de onde ela mora.

foto 1 - Reprodução/ Redes sociais - Reprodução/ Redes sociais
Moradoras estavam na calçada se protegendo durante os momentos das rajadas de vento mais fortes em Lagoa Grande (PE)
Imagem: Reprodução/ Redes sociais

O fenômeno

O fenômeno registrado na cidade é conhecido por frente de rajada. Segundo o meteorologista da Apac (Agência Pernambucana de Águas e Clima), Thiago do Vale, isso ocorre pela combinação de temperatura elevada e umidade em alta.

"[Isso] faz com que o ar fique mais leve e se eleve de forma rápida. As nuvens cumulus, inclusive as cumulonimbus, são acompanhadas de ventos fortes que se deslocam de dentro das nuvens em direção à superfície", explica.

De acordo com o especialista, esses ventos são mais frios que a superfície, o que gera as rajadas de vento acompanhadas de diminuição de temperatura. A depender da intensidade das nuvens, as rajadas de ventos podem superar os 80 km/h na região semiárida. Outros locais do Nordeste já registraram ventos fortes e quedas de granizo recentemente.

"Pelo vídeo, estima-se que a velocidade do vento se deu em torno de 40 km/h. Essa estimativa se dá por meio da escala Beaufort que estima a velocidade do vento com os danos gerados, como o comportamento das árvores, do levantamento de cadeiras de plástico, movimento de telhas, [dentre outros]".

Ao UOL, a prefeitura de Lagoa Grande (PE) confirmou a rajada de vento no município e informou que até a tarde de hoje não foi notificada para nenhuma ocorrência grave nem de prejuízos causados pela ventania.

Cotidiano