PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
3 meses

Jovem é espancada e queimada durante encontro marcado por aplicativo em SC

Vítima foi levada para Hospital São Francisco de Assis, em Santo Amaro da Imperatriz - Hospital São Francisco de Assis/Divulgação
Vítima foi levada para Hospital São Francisco de Assis, em Santo Amaro da Imperatriz Imagem: Hospital São Francisco de Assis/Divulgação

Giorgio Guedin

Colaboração para o UOL, em Florianópolis

24/01/2022 13h55

Uma jovem de 21 anos foi espancada e queimada por dois homens após conhecê-los em um aplicativo de relacionamentos. O caso ocorreu na manhã do último sábado em Santo Amaro da Imperatriz, na Grande Florianópolis. A Polícia Civil investiga a tentativa de feminicídio. A dupla ainda não foi identificada e segue foragida.

Conforme informações da Polícia Civil e da Polícia Militar, a jovem, que não teve a identidade revelada, teria passado a noite anterior ao crime em Florianópolis e que, no sábado pela manhã, os homens teriam prometido levá-la até Garopaba, a cerca de 75 km. No meio do caminho, na cidade de Santo Amaro da Imperatriz, na localidade de Pagará Grande, ela foi espancada e queimada pelos rapazes, que fugiram na sequência.

O UOL conversou com uma funcionária do hospital que atendeu a jovem. Segundo ela, a vítima chegou na unidade por volta das 7h da manhã, amparada por uma desconhecida, depois de ser atirada num matagal e ter fogo ateado no corpo. "Ela acordou com a 'dor do fogo' e começou a pedir socorro no meio da estrada. Uma senhora que mora nesse bairro, que é muito rural, se deparou com a jovem, que estava seminua, pedindo ajuda e a trouxe até o hospital na cidade", revelou. A moça estava em estado de choque, mas conseguia descrever o que teria acontecido.

Segundo a Polícia Civil, estima-se que a vítima tenha sofrido queimaduras em 30% do corpo. Durante o dia de ontem, ela foi transferida para Porto Alegre, onde reside, em um hospital particular. "Pegamos o celular dela, que vai ser periciado e anexamos ao inquérito, para ver se conseguimos identificar alguma autoria", contou a delegada Débora Jardim ao UOL.

A Polícia Civil informou ainda que violência sexual foi descartada. A vítima teria vindo para Santa Catarina para visitar o pai. A jovem deverá ser ouvida por videoconferência.

Cotidiano