PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
6 meses

Bahia: PM é preso sob suspeita de assaltar farmácia em Vitória da Conquista

Alexandre Santos

Colaboração para o UOL, em Salvador

19/02/2022 21h21Atualizada em 20/02/2022 10h19

O soldado da Policial Militar Juvenal Alves Fernandes Neto foi preso ontem suspeito de assaltar uma farmácia na cidade de Vitória da Conquista (BA), a 327 quilômetros de Salvador. O crime ocorreu por volta das 21h de quinta-feira (17) e foi registrado por uma câmera de segurança do estabelecimento.

No vídeo, o homem aparece vestindo blusão, boné e máscara pretos. Ao chegar à farmácia, ele se aproxima de uma das atendentes e saca a arma que carrega na cintura. Em seguida, o suspeito dá um saco plástico à funcionária, que vai até o caixa e recolhe o dinheiro. A mulher entrega o pacote ao suspeito. Nesse momento, um cliente entra no estabelecimento, mas parece não desconfiar que acontecia um assalto.

O assaltante sai andando tranquilamente do local. A ação dura menos de um minuto e meio.

Procurado pelo UOL, o gerente da farmácia disse que não estava autorizado a dar declarações sobre o episódio. A reportagem não conseguiu localizar a defesa do soldado. O texto será atualizado em caso de eventual manifestação.

Moto com placa adulterada

Ao UOL a Polícia Militar informou que Juvenal foi localizado no dia seguinte, por meio da placa de uma motocicleta utilizada por ele na noite anterior. Uma mulher que pilotava o veículo pelo bairro Cidade Modelo acabou abordada por uma viatura da 78ª Companhia Independente da Polícia Militar. Questionada sobre a documentação, ela informou que a moto pertencia ao marido — que é Juvenal Alves Fernandes Neto

Ao confirmar que se tratava de um militar, a guarnição se deslocou até a residência do suspeito. No imóvel, os policiais afirmaram ter encontrado as vestimentas usadas por Juvenal durante a ação criminosa e uma pistola calibre .40, pertencente à PM. Os agentes também constataram que a placa da moto em nome de Juvenal era adulterada.

O suspeito e o material recolhido foram encaminhados ao Disep (Distrito Integrado de Segurança Pública), onde uma das vítimas do assalto reconheceu a roupa que ele vestia na véspera.

Processo administrativo poderá resultar em expulsão

Em nota, a Polícia Militar afirmou que vai instaurar um processo administrativo que pode resultar na exclusão do soldado de suas fileiras. A previsão é que a sindicância seja concluída em um prazo de até 20 dias.

Até a publicação deste texto, Juvenal permanecia custodiado no Comando de Policiamento da Região Sudoeste, em Vitória da Conquista, onde aguarda audiência. Ele era lotado na 34ª Companhia Independente da Polícia Militar, de Brumado, município vizinho.

O caso também será investigado pela Polícia Civil, que poderá responsabilizá-lo na esfera penal.

Cotidiano