PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Mulher é assassinada a marretadas e filha de 10 anos desaparece no PA

Gleiciane Lima Rabelo Amaral, 32, foi encontrada morta em casa; a filha de 10 anos está desaparecida - Reprodução/Redes Sociais
Gleiciane Lima Rabelo Amaral, 32, foi encontrada morta em casa; a filha de 10 anos está desaparecida Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Luciana Cavalcante

Colaboração para o UOL

12/05/2022 17h59Atualizada em 12/05/2022 18h00

Policiais civis da cidade de Marabá (PA) estão em busca de uma menina de 10 anos que desapareceu, após a polícia encontrar o corpo da mãe dentro de casa, ontem. Segundo os primeiros levantamentos, Gleiciane Lima Rabelo Amaral, 32, foi morta com golpes de marreta na cabeça. A polícia investiga as circunstâncias da morte e suspeita que o autor do crime tenha sido o marido da vítima, que, também ontem, teria se jogado numa carreta, na rodovia Transamazônica, logo após o corpo ser encontrado, e morreu na hora.

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios da cidade. Eliezer Almeida Amaral, marido da vítima, tinha 30 anos. A filha Gleiciane, Isabela Lima Mendes Amaral, morava com o casal e não foi vista desde a descoberta do corpo.

"Pelo estado em que o corpo se encontrava, tudo indica que ela foi morta há três dias. A menina não foi encontrada na casa e o último contato que se sabe dela foi no domingo. Na segunda, o Eliezer se hospedou em um hotel da cidade desacompanhado da criança", informou o delegado Vinícius Cardoso, superintendente da Polícia Civil em Marabá.

Após Gleiciane ser localizada na residência da família, no bairro Folha 16, Eliezer se jogou embaixo de uma carreta no perímetro urbano da rodovia Transamazônica, em Marabá, e morreu na hora. "Estamos tratando o caso como um feminicídio seguido de suicídio", conclui Cardoso.

O desaparecimento da menina foi imediatamente comunicado ao Disque Denúncia para a realização de uma campanha na tentativa de localizá-la.

"Ela foi incluída desde ontem no nosso sistema de desaparecidos e contamos com a população e imprensa para fornecer qualquer informação sobre a possível localização dela. Qualquer informação que recebermos, repassamos imediatamente para a polícia averiguar a veracidade", reforça a responsável pelo serviço, Hellen Machado.

Segundo ela, algumas informações já chegaram até o serviço e estão sendo averiguadas, mas a criança ainda não foi localizada.

A polícia civil está fazendo diligências na área em busca da menina. Qualquer informação pode ser repassada para o fone (94) 3312-3350 ou pelo WhatsApp (94) 98198-3350.

Cotidiano