PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Vídeo mostra briga que levou à morte filho de desembargador em MG

Rodrigo Scapolatempore

Colaboração ao UOL, em Belo Horizonte

20/05/2022 20h52

A briga entre vizinhos que resultou na morte por facada de Júlio César Lorens Júnior, 28, em edifício de região nobre de Belo Horizonte, teve os detalhes capturados por câmeras de segurança. De acordo com novas informações da Polícia Militar, a esposa da vítima afirmou que o marido e o idoso de 67 anos já tiveram desavenças e a briga não tinha sido o primeiro embate entre os dois.

O suspeito, preso em flagrante, disse aos policiais que pegou a faca porque é mais velho e queria se defender. O crime ocorreu ontem pela manhã e teria sido motivado por barulhos provocados por marteladas e móveis arrastados no andar de cima.

Nas imagens, é possível ver as duas partes discutindo e já partindo para a violência, subindo e descendo as escadas até que ambos são vistos descendo com chutes, tapas e socos, e o homem mais velho dá pelo menos duas facadas no vizinho e volta para o apartamento, sem prestar socorro. O jovem de 28 anos cambaleia e cai sem forças no chão.

No Boletim de Ocorrência também consta que o idoso, que ainda não teve identidade revelada, alegou em depoimento inicial que agiu em legítima defesa, já que o rapaz já apareceu com um spray de pimenta, e que ele conseguiu ver isto pelo olho mágico e se precaveu.

Imagens das câmeras de segurança mostram, a princípio, que o idoso já sai do apartamento com a faca e, depois de receber os jatos, vai atrás de Júlio César. Em pouco menos de um minuto, os dois começam a brigar e ele desfere o primeiro golpe.

A PM informou, ainda, que a vítima foi encontrada deitada no chão, e que a esposa estava aos prantos, tentando socorrê-la, mas sem saber o que fazer. Mesmo passando por cirurgia, Júlio César não resistiu aos ferimentos.

Em nota, a Polícia Civil informou hoje à tarde que "as diligências investigativas, incluindo a apuração da vida pregressa do investigado, ainda estão sendo realizadas e que, devido à Lei de Abuso de Autoridade, não informa e nem confirma dados de envolvidos em ato ilícito".

O inquérito já foi aberto e o suspeito segue preso na capital mineira. O UOL tentou localizar a defesa do homem que aparece nas imagens e ainda não teve a identidade revelada, mas, não obteve sucesso. O espaço segue aberto para esclarecimentos de seus representantes legais.

Quem era Júlio César

Júlio César tinha 28 anos, formou na PUC Minas e trabalhava como professor de História especializado em cursinhos para vestibulares. Atualmente, fazia parte da equipe do requisitado preparatório Hexag Medicina.

Nas redes sociais, ele se define como alguém que "protagoniza o trabalho com pragmatismo e transparência, sempre aberto ao diálogo".

Seu foco era dar aulas para turmas de Ensino Fundamental e Médio, mas possuía diversos projetos paralelos na área como historiador e pesquisador.

Ele também atuava no setor editorial formulando materiais didáticos para cursos preparatórios e no desenvolvimento de questões originais no padrão ENEM e outros vestibulares.

Cotidiano