Festa em Dubai e doce com ouro: advogado é denunciado por golpe em idosos

Conhecido como "Rei do Previdenciário", por prometer a idosos reaver o dinheiro de parcelas de aposentadoria atrasadas, o advogado Wanderson Farias de Camargos, de Unaí (MG), é suspeito de não fazer os repasses e sumir com os valores. Dez vítimas procuraram a Polícia Civil para denunciar o caso e afirmam que juntas não receberam o equivalente a mais de R$ 200 mil.

Nas redes sociais, o advogado, que também se intitula empresário e produtor rural, costuma ostentar luxo, como o casamento realizado em Dubai, nos Emirados Árabes, em janeiro do ano passado com sua sócia Kelly Camargos. A festa durou quatro dias.

A cerimônia realizada no hotel Palace Downtown, com diárias de até R$ 40 mil, teria sido cercada de luxo, segundo o "Fantástico", da TV Globo. A decoração teria sido feita por Kaká Fagundes, o mesmo que decorou o casamento de Gusttavo Lima com Andressa Suita.

Além disso, as roupas usadas pelos noivos eram de grifes internacionais. O cardápio contou com doces com flocos de ouro, teve ensaio fotográfico dos noivos no deserto e passeio em carro de luxo.

Mais recentemente, uma festa de renovação de votos foi realizada em uma fazenda da família próxima ao Distrito Federal. O evento contou com cerca de 300 convidados e teve como atrações shows do cantor Vitor Chaves e Reinaldinho (ex-Terrasamba).

Segundo o "Fantástico", na segunda comemoração a noiva usou dois vestidos durante o casamento. O primeiro para a bênção e o segundo para a festa, que foi até o amanhecer e também ofereceu café da manhã para os convidados.

O escritório do advogado, que vem sendo investigado, fica em Unaí (MG) e em seu site se descreve como especializado em Previdência, pensão e auxílio-doença.

Continua após a publicidade

Ainda segundo o site, são 31 unidades espalhadas pelo país, divididas entre os estados de Minas Gerais, Distrito Federal, Goiás, Tocantins e Espírito Santo. Já tendo mais de 41 mil casos resolvidos e 20 mil clientes satisfeitos, afirma a plataforma.

A investigação

Segundo a Polícia Civil, o advogado trabalhava em casos previdenciários e não repassava o dinheiro recebido nas ações judiciais aos idosos, alguns deles analfabetos.

O suposto golpe era aplicado em pessoas que conseguiram se aposentar, mas não receberam as parcelas atrasadas do benefício, de acordo com a Polícia Civil. O valor seria sacado pelo advogado por meio de uma procuração e não repassado aos clientes. O caso está em segredo de Justiça.

A reportagem do UOL procurou o escritório de Wanderson através de WhatsApp, telefone e por e-mail por diversas vezes, mas não houve interesse em um posicionamento.

Em nota enviada ao "Fantástico", da TV Globo, a defesa do advogado disse que repudia a alegação de falta de repasse financeiro aos clientes.

Continua após a publicidade

A defesa afirmou ainda que a divulgação de informações parciais vem de uma disputa contra um ex-sócio, que busca distorcer a realidade, e que o processo tramita sob sigilo e que Wanderson Camargos provará sua lisura e inocência.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes