Conteúdo publicado há 2 meses

Em 24 horas, solo afundou 10,8 cm na região de mina em Maceió

O solo na região onde está localizada a mina 18 da Braskem, em Maceió, afundou 10,8 centímetros nas últimas 24 horas — até a manhã de domingo (3). A Defesa Civil de Maceió permanece em alerta máximo.

O que aconteceu

A Defesa Civil municipal afirmou que a velocidade de deslocamento se mantém em 0,7 centímetros por hora, segundo boletim divulgado hoje. O solo já cedeu 1,69 metro desde 28 de novembro deste ano.

Segundo o órgão, o alerta máximo continua devido ao risco iminente de colapso. Na sexta (1º), a velocidade de deslocamento ficou em 2,6 cm/h — no momento mais crítico chegou a 5 cm/hora, segundo o prefeito de Maceió João Henrique Caldas (PL).

A Prefeitura de Maceió criou um canal no WhatsApp para atualizar a população sobre as condições da mina. O número é (82) 99949-9612.

A população não deve transitar na área desocupada até uma nova atualização da Defesa Civil, enquanto medidas de controle e monitoramento são aplicadas para reduzir o perigo.
Defesa Civil de Maceió

Entenda o caso

A Braskem nunca assumiu oficialmente a responsabilidade pelo afundamento de cinco bairros em Maceió, segundo o Ministério Público Estadual. Até agora, mais de 15 mil imóveis foram desocupados — expulsando 60 mil moradores de suas casas.

Não há "reconhecimento de responsabilidade da Braskem", diz acordo para a desocupação de áreas de risco, de 2019. O documento é assinado por representantes da Defensoria Pública Estadual e da Federal, da Procuradoria-Geral de Justiça e do Ministério Público Estadual de Alagoas.

Continua após a publicidade

O afundamento do solo aconteceu em área onde houve extração de sal-gema, um cloreto de sódio que é utilizado para produzir soda cáustica e PVC. A região do entorno já foi desocupada, segundo as autoridades públicas e a Braskem.

A empresa possui 35 minas na região. A exploração de sal-gema naquela área começou na década de 1970 e foi encerrada em 2019.

A capital alagoana decretou estado de emergência. O presidente em exercício, Geraldo Alckmin (PSB), permitiu que a Prefeitura de Maceió faça um empréstimo de US$ 40 milhões.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora