Conteúdo publicado há 6 meses

PMs são afastados após bebê ser atingida por disparo de arma de airsoft

Dois policiais militares foram afastados da corporação após uma bebê de 1 ano ser atingida no rosto com munição de airsoft. Os tiros partiram de uma viatura da PM, no Itaim Paulista, periferia da zona leste de São Paulo, na madrugada de terça-feira (26).

O que aconteceu

Os policiais que foram afastados estavam na viatura de onde foram feitos dois disparos de airsoft. Em nota, a SSP (Secretaria de Segurança Pública) diz que eles foram identificados e "preventivamente afastados enquanto as apurações estão em curso".

A airsoft é uma arma de pressão, que dispara munição de plástico. Não faz parte do arsenal da PM. Até o momento, não foi apreendida.

Um inquérito foi aberto para investigar a ocorrência, registrada como homicídio tentado. A Corregedoria da PM também acompanha o caso. "A SSP ressalta que a Polícia Militar é uma instituição legalista, que não compactua com desvios de conduta e que promove treinamentos constantes para que todos os seus integrantes ajam dentro dos protocolos estabelecidos", diz a nota.

Câmeras de segurança registraram o momento dos disparos. A viatura da PM trafegava pela rua Sete Estrelas. No sentido contrário, vinha uma moto. Quando os veículos se aproximavam, o carro policial reduziu a velocidade, até parar no meio da rua.

Um homem de 29 anos e sua filha de 1 ano estavam na moto. De dentro da viatura, um dos policiais atirou duas vezes em direção a pai e filha.

"Não houve ordem de parada, não houve abordagem policial, nenhum tipo de comunicação", afirmou o delegado Gregory Goes Siqueira, responsável pelo caso.

Um dos disparos atingiu a bebê no rosto. Ela foi socorrida e passou por cirurgia para retirar o projétil. A criança recebeu alta nesta tarde, segundo a Secretaria de Saúde.

Vislumbro que a conduta se amolda à tentativa de homicídio. No mínimo, atitude de dolo eventual. Um PM que tem conhecimento técnico prévio deve presumir que um disparo de airsoft, naquela distância e com a moto em sentido contrário, pode causar um acidente ou fatalidade, em virtude de uma atitude deliberada, consciente e voluntária.
Gregory Goes Siqueira, delegado responsável pelo caso

Deixe seu comentário

Só para assinantes