Conteúdo publicado há 1 mês

Exército conclui inquérito sobre furto de 21 armas; 2 seguem desaparecidas

O Exército concluiu o inquérito sobre o roubo de 21 metralhadoras furtadas do Arsenal de Guerra de Barueri, em São Paulo.

O que aconteceu

A investigação terminou no dia 16 de fevereiro, segundo Comando Militar do Sudeste. Em nota, o comando disse que o resultado do inquérito foi encaminhado à Justiça Militar da União, que determinou a manutenção do sigilo do caso.

Duas metralhadoras de calibre .50 ainda não foram recuperadas. Das 21 armas furtadas, oito foram encontradas em uma comunidade na zona oeste do Rio de Janeiro, nove em São Roque, no interior de São Paulo, e outras duas na avenida Lúcio Costa, também no Rio de Janeiro.

Exército teve 21 metralhadoras desviadas

Treze metralhadoras .50 e oito de calibre 7,62 foram furtadas no dia 7 de setembro do ano passado. O furto ocorreu enquanto câmeras de segurança estavam desativadas.

O sumiço das armas só foi notado mais de um mês depois, em 10 de outubro.

Após o episódio, o comando do Exército trocou o diretor do arsenal de guerra de São Paulo. Para o lugar do tenente-coronel Rivelino Barata de Sousa Batista, foi nomeado o coronel Mário Victor Vargas Júnior. A mudança foi publicada no Diário Oficial da União.

Deixe seu comentário

Só para assinantes