Conteúdo publicado há 1 mês

Defesa de mulher que levou morto a banco no RJ diz que idoso chegou vivo

A defesa da mulher presa por suspeita de levar um homem morto para fazer um empréstimo em um banco no Rio afirmou que a vítima estava viva quando chegou ao local. Socorristas chamados constataram que ele estava morto.

O que aconteceu

Fatos não aconteceram como narrados, disse advogada. Ana Carla Correa, que representa de Souza Vieira Nunes, afirmou que o idoso chegou vivo à agência e que o caso seria esclarecido após oitiva de testemunhas. A declaração foi dada a jornalistas do lado de fora da delegacia na noite de ontem e mostrada pela TV Globo.

Defesa se prepara para audiência de custódia. Ao UOL, a Ana Carla informou que mais informações sobre o caso serão passadas após reunião com a família de Erika. A audiência será realizada até esta quinta-feira (18), informou a advogada.

Relembre o caso

Mulher foi presa nessa terça-feira (16). Ela estava em uma agência bancária de Bangu, na zona oeste do Rio, e tentava sacar R$ 17 mil pré-aprovados por um banco para o idoso de 68 anos, de quem alegava ser sobrinha.

Movimentação suspeita foi gravada por funcionários da agência. No vídeo, é possível ver a mulher segurando o braço e a cabeça do idoso e pedindo que ele assine o documento. Ela também pergunta se funcionários viram o momento que o idoso abriu uma porta, o que comprovaria que ele estava vivo.

Samu foi acionado e constatou que homem estava morto. A mulher foi levada à delegacia para prestar esclarecimentos e foi presa no local. Ela foi autuada em flagrante por tentativa de furto mediante fraude e vilipêndio a cadáver (ou seja, menosprezar, ultrajar, tratar com desprezo e sem o devido respeito o cadáver ou suas cinzas).

Deixe seu comentário

Só para assinantes