Conteúdo publicado há 1 mês

MPRJ suspeita que advogada desaparecida foi morta e teve cadáver ocultado

O Ministério Público do Rio de Janeiro suspeita que a advogada Anic de Almeida Peixoto Herdy, 55, que está desaparecida desde 29 de fevereiro, foi assassinada e teve o cadáver ocultado.

O que aconteceu

Investigadores agora querem descobrir o local em que o corpo de Anic foi enterrado. A Promotoria de Justiça de Investigação Penal de Petrópolis denunciou quatro suspeitos pelo desaparecimento da vítima. Todos eles tiveram a prisão preventiva decretada pelo Tribunal de Justiça do Rio e estão encarcerados.

Anic foi vista com vida pela última vez em 29 de fevereiro, em Petrópolis, na região serrana do estado. Desde então, os familiares da advogada pagaram cerca de R$ 4,6 milhões exigidos pelos criminosos para soltá-la, o que nunca aconteceu.

Principal suspeito era de confiança e trabalhava como segurança para a família há três anos. Segundo o MPRJ, Lourival Correa Netto Fatiga arquitetou o sequestro e envolveu seus dois filhos, além de uma mulher com quem mantinha relacionamento, no crime.

Lourival fingiu ser agente da Polícia Federal ao ser contratado como segurança pela família da advogada. Após sequestrar Anic, os suspeitos exigiram pagamento de R$ 4,6 milhões para soltá-la. Conforme a denúncia, o próprio sequestrador intermediou o pagamento milionário, sem que o marido da vítima soubesse que, na verdade, o segurança era o responsável pela captura de sua esposa.

Transações eram feitas em contas sugeridas por Lourival. O marido da mulher desaparecida realizou mais de quarenta transferências bancárias por orientação do suspeito em contas indicadas por ele para aquisição de dólares, também para pagamento do resgate, diz o MPRJ.

Boletim de ocorrência sobre o desaparecimento de Anic só foi registrado em 14 de março pela filha dela. Segundo a polícia, a ideia de não levar os fatos ao conhecimento das autoridades locais partiu do próprio Lourival, o que retardou o início das investigações.

Suspeito levava vida de luxo com o dinheiro do sequestro. Conforme a denúncia, Lourival comprou um carro avaliado em R$ 500 mil e pagou pelo automóvel em espécie. Ele também adquiriu uma motocicleta e 950 aparelhos celulares para serem revendidos.

Anic é casada com Benjamin Cordeiro Herdy, 78. Ele é um dos filhos do fundador de um complexo educacional na Baixada Fluminense que deu origem à universidade Unigranrio, vendida em 2021.

Continua após a publicidade

Prisões

Lourival é suspeito de envolvimento no sequestro. A polícia identificou que, após o pagamento do resgate, ele comprou uma caminhonete em uma concessionária na Barra da Tijuca por R$ 500 mil em dinheiro vivo, além de uma moto por R$ 30 mil e aparelhos eletrônicos.

O segurança, seus dois filhos e sua amante foram presos. A Polícia Civil do Rio informou que Lourival colocou a caminhonete comprada com o dinheiro do sequestro no nome da filha. Os quatro viraram réus por extorsão e sequestro.

O UOL não conseguiu contato com as defesas dos suspeitos. Em nota enviada à reportagem do Fantástico, da TV Globo, no domingo (19), todos negaram participação no crime.

Deixe seu comentário

Só para assinantes